Meu pai Flávio, Meu Herói

pedro-flavio-quintanilha

Hoje é aniversário do meu pai e nada como escrever e deixar registrado para sempre o que sinto por ele, normalmente as pessoas costumam fazer homenagens póstumas, mas é muito mais legal receber homenagem em vida. Por isso decidi escrever um pouco do que sinto por você meu grande pai.

Flávio Motta Quintanilha você é um exemplo de perseverança, fé e atitude. Eu te amo e isso não é da boca para fora. Você investiu toda sua vida em mim, me ensinando a ser homem, me aconselhando, me mostrando o caminho da verdade, me corrigindo sempre que necessário.

Sou grato por nunca ter negado a correção e sempre ter tido uma mesma linguagem com minha mãe, sou grato pelas noites em claro, pelas histórias a noite de Branca Fulô as histórias da bíblia.

Sou grato por ter me apresentado ao cristianismo e por dar exemplo todos os dias lendo as Escrituras e Orando, seu exemplo sempre falou mais alto do que suas palavras e isso meu pai eu aprendi com você.

Sou feliz por me ensinar a valorizar o trabalho duro e me mostrar que a vida não é fácil.

Sou grato por buscar dominar minha ansiedade até hoje, me ensinando a viver um dia de cada vez.

Sou grato pela sua disposição em ajudar as pessoas e mesmo quando tem pouco, dividir com quem tem menos ainda.

Observo sua compaixão com os que estão perdidos e com os desviados e me alegro.

Sou grato por me ensinar à honestidade e a ser irrepreensível como você.

Sou grato por você ter acordado muitas madrugadas para me levar a escola e até hoje enquanto faço pós você me dá carona para rodoviária.

Por todo o incentivo aos estudos, em todos os sentidos, apoio para os cursos, congressos, palestras, livros e tantas outras coisas.

Sou Muito, mas muito grato mesmo pai por você representar Jesus para mim e por me ensinar a ser filho. Com isso tenho muita, mas muita facilidade mesmo, de ver Deus como Pai.

A minha oração é que eu possa ser para os meus filhos o exemplo que você é pra mim.

Obrigado por ser meu pai. Um pai de verdade!!!

Feliz Aniversário pai.

Pedro Quintanilha ><>

 

Anúncios

Espirito Santo uma pomba?

Espirito Santo uma pomba?

Como muitos que acompanham o nosso blog, fui criado em um lar cristão e sempre ouvi de amigos de minha Família e até de irmãos mais maduros na fé que o Espirito Santo era como uma pomba. Claro que estavam fazendo referência a passagem dos evangelhos que fala do batismo do nosso mestre Jesus, onde é citado que o Espírito Santo descera sobre ele como uma pomba.

“Nessa ocasião Jesus veio de Nazaré, uma pequena cidade da região da Galileia, e foi batizado por João Batista no rio Jordão. No momento em que estava saindo da água, Jesus viu o céu se abrir e o Espírito de Deus descer como uma pomba sobre ele.” (Marcos 1:9, 10 NTLH)

Não tenho dúvidas de que é verdade que o Espirito Santo desceu sobre Jesus como uma pomba, pois creio nas Escrituras. Só que existe algo que me incomoda quando ouço alguns amados irmãos tratarem o Espírito Santo como pomba e não como uma pessoa.

Acredito que a forma com que enxergamos Deus determinará muitas coisas em nossa vida e isso inclui nosso caráter e em ultima instância nosso destino.

A final que diferença faz de ver o Espirito Santo como uma pomba ou como uma pessoa?

Quando o vemos como uma pomba somos levados a acreditar que ele é frágil, pequeno e que voa a qualquer sinal de perigo. Acredito que você já tenha ouvido algo assim: “O Espírito Santo é como uma pomba por isso cuidado, pois se você pecar ele se afastará de você.”

Isso é muito comum, porém é algo que vai totalmente contra as verdades de Deus. Afinal quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo é o próprio Espírito Santo. Ele nunca se afasta de nós podemos entristecê-lo ou apagá-lo, mas ele nunca fugirá de seus filhos.

O fato de enxergar o Espirito Santo de Deus como uma pomba ao meu ver causa uma certa complicação para compreendermos a realidade espiritual que convive com a realidade física.

Meu desejo é que possamos nos relacionar pessoalmente com o Espírito Santo e desfrutar de um relacionamento vivo e real com ele e a Igreja de Jesus.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

 

O Serviço de Tiago

tiago-o-menor-irmao-de-joao

Tenho refletido sobre um tipo de serviço que poucos desejam, esse é o serviço de Tiago. Tiago foi um dos discípulos de Jesus, caminhou com o mestre durante toda sua peregrinação e até a cruz permaneceu firme.

Tiago foi chamado, junto com seu irmão João, de Filho do Trovão. Ele foi um dos que perseverou e se tornou parte do círculo mais íntimo de Jesus, junto com Pedro e seu irmão João.

Tiago assim como Pedro e João foi considerado uma das colunas da igreja.

Antes de falar da vida de Tiago e do seu serviço que poucos querem, vou falar sobre o serviço dos outros dois discípulos que foram essas colunas juntamente com Tiago.

Pedro foi chamado a abrir os caminhos para a igreja foi visto como o primeiro entre os apóstolos e uma grande referência para todos os primeiros irmãos.

João foi chamado de o discípulo amado e podemos ver que foi o discípulo que mais se aproximou do mestre, ao ponto de reclinar sua cabeça em seus ombros e ser convocado a cuidar da mãe de Jesus. Além disso, foi aquele em que Deus revelou e escreveu o livro de Apocalipse o último a encontrar o Senhor.

E Tiago?

Tiago foi o apóstolo que não escreveu livro e que não vemos passagem que fale sobre ele. Tiago foi aquele que morreu e em silêncio provocou uma grande revolução no seio da igreja, pois logo depois de sua morte Pedro foi preso, mas sua morte motivou a igreja a se reunir e orar incessantemente provocando assim o milagre da libertação de Pedro.

Tiago foi um dos primeiros mártires, ou seja, aquele que deu sua vida por amor ao evangelho e não teve nenhuma proeminência diante dos homens, mas seu sangue clama diante de Deus até hoje.

Será que estamos dispostos a escolher o serviço de Tiago?

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

 

Esferas de Influência em Nossa Sociedade

Nota

7areas da sociedade

Há 7 instituições consideradas pilares da sociedade: a família, a igreja, o governo, as empresas (a economia, os negócios), as artes, os meios de comunicação e a academia (educação).

Cada pilar ou instituição contribui para o caráter e a estabilidade (ou instabilidade) de uma sociedade.

A saúde da família e do casamento, e a reverência para com eles, são críticos para o caráter de uma sociedade, como comprovamos diariamente em nossa cultura decadente.

A igreja como Sal e Luz (mt5:13-16), deve apoiar, influenciar e impactar a sociedade proclamando a verdade de Deus e exibindo o caráter divino, tanto para crente como para não crentes.

O governo é instituído para influenciar e controlar a dispensasão de justiça nas interações humanas.

As empresas são os instrumentos para criação de riquezas e, portanto, provêem o motor econômico para os outros pilares.

As artes expressam a natureza criativa e celebrativa da humanidade, assim como a recebemos do nosso Deus Criador, tanto influenciando como refletindo a sociedade em geral.

A mídia englobam os meios de comunicação, eletrônicos e impressos, os quais exercem uma clara influência em qualquer sociedade.

A academia, educação da próxima geração, é pilar último e exerce uma profunda influência nos valores e comportamentos de uma sociedade.

Cada um desses pilares estão relacionados uns com os outros e juntos são a expressão completa da cultura que deve refletir a realidade do Reino de Deus.

Ser influencia e poder de alguma forma tocar essas áreas trazendo a realidade do céu para terra é o meu desafio.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Adaptado do livro Negócios como missão.

#tempodefrutificar.

Cada Dia Um Novo Ano – Por Guillermo Lóssio

novo-ano

 

Esse texto foi escrito por um querido amigo o Guillermo Lóssio e acredito ser oportuno para esse novo ano que se inicia leia e reflita.  – Pedro Quintanilha ><>

_______________

A Cada final de ano nos enchemos de expectativa e ficamos na espera que coisas novas aconteçam, na realidade o final de ano enche-nos de nostalgia e esperança de que as coisas poderão ser melhores.

Logo aparecem as profecias que são especificamente para esse ano, deixando muitas vezes as que já foram entregues e não se cumpriram no ano que passou.

Ano novo,  vida nova, é um conceito desejado por muitos, mas em realidade nosso destino não esta estabelecido no que esta por vir, nosso futuro não se cria no futuro, ele é conseqüência de nosso passado e presente. Se entendermos os tempos nós marcaremos o tempo.

Nosso destino não esta fundamentado em “guias proféticas” nem palavras entregadas, nosso destino está estabelecido no que foi feito num passado, que marca meu presente e determina meu futuro, meu destino este estabelecido no que Jesus, o Cristo, realizou na cruz do calvário.

O que vai ter o outro ano será produto de minha posição presente, aprendendo e re-tomando nosso caminhar no passado, restaurando e restituindo os erros e falhas, aprendendo de outros, melhorando minhas conquistas e alcances, subindo passo a passo na escada da vida, propondo-me a servir mais, a entregar-me mais do que me entreguei, a caminhar mais longe do que cheguei, a ser uma ferramenta de melhora para alguém, a me colocar a disposição para ser um dos tantos que Deus usa em coisas grandes, a poder dizer para muitos conta comigo, a ser um verdadeiro amigo, melhor pai, melhor mãe, melhor filho (a), melhor esposo (a) melhor cristão.

Recebendo cada dia como um passo a mais para alcançar resultados extraordinários sem perder a mira no que vem depois, a entender que eu sou só uma parte de todo o que Deus tem para outros tempos.

Ao final o ano será um ano melhor porque aprenderei com meus erros, me fortalecerei nas minhas fraquezas, me preparei melhor, me relacionarei melhor, servirei com mais dedicação, vencerei o que me derrotou,  e me disponho a sair do meu mundo para integrar-me junto a outros, a projetos que vão mais alem de meu interesse.

Será um ano de inicio para alguns, e um ano de fim para outros, ciclos se abrirão, ciclos se fecharão, mas além de tudo será um tempo de maturidade por que aprendemos no passado do que devemos fazer e o que não devemos fazer isso nos fará mais fortes para continuar nossa jornada para o outro ano extraordinário.

Entenderemos o que Paulo -apóstolo- diz “certamente esquecendo o que ficou para trás me esforço para conquistar aquilo pelo qual eu fui conquistado por Cristo”

Assim poderemos caminhar em uma só meta, em um só pensamento cumprindo nossa missão entregada com responsabilidade e animo. Usando nosso passado para fortalecer meu presente e assim poder determinar meu futuro, para que tenha uma melhora constante no lugar onde estou localizado.

Os Sintomas da Doença da Religião

doença-religiao-religiosidade

Texto do Kris Vallotton, traduzido por meu grande amigo e irmão Mateus Mainhard.

“Eu creio em viver uma vida radicalmente entregue a Deus, onde minha paixão é vivida na prática. Então, eu tenho lido a minha bíblia todos os dias por mais de 30 anos. Nos últmos 38 anos, eu não perdi mais de 20 cultos de domingo na igreja. Eu dou/oferto grande parte da minha renda. Eu amo passar tempo com Deus, orando e curtindo a Sua presença. (Eu faço essas coisas porque eu quero, e não porque alguém requer isso de mim.)

Já o espírito de religião, não, ele nunca está satisfeito. Se você ler um capítulo por dia,
“deveria” ter sido dois. Se você orar 15 minutos, “deveria” ter sido 1 hora. Se você jejuar por 3 dias, “deveria” ter sido por uma semana. Se você dá 10% da sua renda, “deveria” ter sido 20%. Se você for à igreja toda semana, você faltou na quarta-feira. A religião escraviza, odeia as pessoas. Requer que você trabalhe pra se sentir amado ao invés de viver a partir do amor.

Os sintomas dessa doença são:

1-Você sempre se sente culpado independentemente do quanto você se esforce.

2-Sua identidade é totalmente ligada ao que você faz, e não a quem você é.

3-Quando você não está fazendo alguma coisa você se sente culpado.

4-Você julga a performance dos outros e fica se comparando.

5-Você está sempre atarefado e se sente constantemente exausto.

6-No fundo você sempre pensa que se você tivesse dado/feito mais ou sacrificado mais, você teria sido feliz.

7-Sacrifício é seu maior valor e você não sabe o que é ser apaixonado.

8-Você se sente culpado quanto você está se divertindo.

9-Você se sente mal quando gasta dinheiro em coisas que você gosta mas que não são “espirituais”.

10-Você nunca está realmente feliz ou realmente já se sentiu amado.

11-Se você deixa de fazer uma das suas “disciplinas espirituais” você se sente como se algo terrível fosse acontecer com você.”

_______
Só gostaria de pontuar uma coisa, o Reino de Deus nos exige decisão a partir do amor assim como o texto fala. Temos de tomar cuidado com o extremo que pode nos levar à uma vida sem responsabilidade com a missão e com a igreja.
Assim como Jesus muitas vezes fez o que não queria fazer pela causa que lhe era designada, mas por amor fez. A renúncia apaixonada da nossa vontade que extrapola os sentimentos de egoísmo e autopreservação é maravilhosa.
No Amor de Jesus,

Completando o Mandato Cultural – Por Stephen McDowell

Como os Cristãos têm Ajudado a Estabelecer o Reino de Deus entre as Nações

Completando a Comissão

O Plano de Deus para a Humanidade

Qual é o propósito ou a missão do homem na terra? Os Cristãos com freqüência respondem a isto se referindo a Grande Comissão (Mateus 28:18-20), e com toda a razão, porem nos últimos anos um grande segmento da Igreja tem limitado o significado disto a conversão somente pessoal. Certamente a Grande Comissão inclui o Mandato

Evangelístico, de redimir o homem, mas também inclui o Mandato Cultural, o de redimir a terra.

Deus se tem revelado a Si próprio como o Rei da Criação quanto o Redentor da Humanidade. O Seu reinado sobre a criação se descreve nos capítulos iniciais da Bíblia. O propósito de Deus para o homem também é revelado no livro de Gênesis.

Para entendermos apropriadamente o plano de Deus para o homem devemos entender uma verdade fundamental declarada em Genesis 1:1 – a soberania de Deus. Deus declara a sua existência desde o principio. Ele declara que é o Criador, por isto Seu senhorio sobre a criação. Ele governa sobre toda a criação. “Os céus são os céus do Senhor… Todo o que quis tem feito” (Sal. 115:16, 3). Devido a que Ele é soberano, todos os homens são responsáveis perante Deus.

O primeiro livro, Gênesis, também ensina o aspecto distintivo do homem. O homem é feito a imagem de Deus (1:26-27); por tanto é único e distinto. O homem manifesta o principio da individualidade – no seu chamado e nas suas características. Todos nos temos um propósito geral comum, mas cada um tem um propósito específico distinto.

Deus lhe deu uma missão a Sua criação especial desde o principio – o Mandato Cultural ou de Domínio (vs. 28). Deus lhe deu ao homem a missão de senhorear sobre a terra, de tomar domínio. O Salmo 8:6 diz que somos feitos para governar sobre as obras das Suas mãos.

Deus criou o homem a Sua própria imagem e semelhança como o Seu vice-regente ou administrador para governar sobre a terra. Tristemente o homem caiu do propósito para o qual Deus o criou. Desta maneira, o homem perdeu tanto o seu íntimo relacionamento com Deus quanto a sua habilidade para governar apropriadamente a terra. O pecado não somente separou o homem de Deus, mas também produziu uma maldição e uma grande perda. O homem era incapaz de cumprir apropriadamente o mandato cultural.

A natureza redentora de Deus se faz evidente de ali em diante. O homem tinha caído de aquilo para o qual Deus o tinha criado h– tanto no seu ser quanto no seu agir.

Então Deus planejou redimir o homem e restaurar nele a autoridade e administração (mordomia) delegadas sobre a terra. Deus prometeu que a semente da mulher destruiria a serpente, Satanás (Genesis 3:15). Cristo foi aquela semente que veio para redimir o homem e reverter os efeitos da queda e a maldição. Ele devolveu ao homem a habilidade de cumprir a missão originalmente entregue a Adão, como também restaurou o relacionamento do homem com Deus.

A historia da redenção se desenvolve nas varias alianças que Deus estabeleceu com os homens. A entrega da lei no Pacto Mosaico também foi usada por Deus para impulsionar o Seu programa redentor. Naturalmente, o propósito redentor de Deus tem encontrado seu cumprimento final na Nova Aliança a través de Cristo, quem foi imolado e que pelo seu sangue Deus tem redimido os homens para si mesmo “de toda linhagem, língua, povo e nação” (Apocalipse. 5:9).

salvaçao em cristo

O Propósito da Salvação em Cristo

O propósito completo da salvação em Cristo não pode ser entendido a menos que entendamos o propósito original do homem. A salvação vai alem de fazer que o homem entre no céu. Inclui restaurar o homem a sua posição original. Cristo lhe trouxe ao homem a restauração do pacto que Ele tinha com Deus, da gloria que tinha de Deus, e do mandato de domínio. Jesus também trouxe o reinado e o governo do Seu Reino a toda a criação. Ele proclamou e demonstrou o evangelho do Reino (ou seja, o governo, justiça, verdade e paz de Deus em todas as áreas da vida).

A sua obra expiatória também reverteu a maldição devido à queda do homem. A maldição afeta aos indivíduos através da morte, as enfermidades, o cativeiro, etc., e por sua vez também afeta todas as esferas da vida. Cristo trouxe redenção aos indivíduos, mas também às instituições e a todas as esferas da vida (incluindo a lei, o governo, a educação, as artes, os negócios). A redenção é tão ampla como a abrangência do pecado.

O desejo de Deus, como Jesus nos ensinou a orar, é que o Seu reino venha e que a Sua vontade seja feita na terra como é feita nos céus. Temos sido redimidos com um propósito. Em Cristo temos sido restaurados a condição de filhos e estamos agora na posição de obedecer tanto o Mandato Cultural quanto o Mandato Evangelístico. Com respeito ao Mandato Cultural, Deus nos tem restaurado a mordomia. Através de Cristo somos chamados de volta ao propósito original de Deus – para viver a Sua imagem e para sermos “frutíferos e a aumentar em número, a encher a terra e dominá-la. Para senhorear sobre… todas as criaturas que se movem sobre a terra” (Genesis 1:28). Temos sido restaurados para servir a Deus como os seus vice-regentes sobre a terra.

As nações também são afetadas pela obra redentora de Cristo. Em Mateus 28:19 Jesus nos disse que fossemos e que fizéssemos discípulos de todas as nações. Matthew Henry disse que a intenção de isto é reconhecer as nações como nações Cristas. Atos 17:26 nos diz que Deus fez as nações e lhes prefixou os tempos e os limites de sua habitação, para que busquem a Deus.

As nações têm obrigações com Deus. George Washington resumiu muito bem as obrigações que as nações têm com Deus no documento Proclamação para um Dia de Ação de Graças, guardado a quinta-feira 26 de Novembro de 1789: “É a Obrigação de todas as Nações reconhecerem a Providencia do Deus Todo poderoso, obedecer a sua vontade, e ser agradecidas pelos seus Benefícios, e implorar humildemente a sua Proteção e Favor. ”

Necessitamos ver que a nossa comissão é grande e que vai muito alem da conversão de indivíduos, embora isto seja de primeira importância.

remir a terra, nosso mandato cultural

Redimindo a Terra

O Mandato Cultural nos chama para usar todos os nossos recursos para expressar a Sua imagem e semelhança na terra. Para cumprir este mandato requer de nos que descubramos a verdade através das ciências, apliquemos a verdade por meio da tecnologia, interpretemos a verdade através das artes e as letras (a área de humanidades: a literatura, a filosofia, etc.), estabeleçamos a verdade através do comercio e a ação social, transmitamos a verdade por meio da educação e as artes, e preservemos a verdade através do governo e a lei.

Historicamente os Cristãos têm estado na frente em cada uma dessas áreas. À medida que estes homens e mulheres têm sido fieis para cumprir o chamado em suas vidas e utilizar os talentos que Deus lhes deu, nessa medida tem contribuído enormemente para tomar domínio sobre a terra e estender os propósitos e o governo de Deus neste mundo.

Na parábola de Lucas 19:11-27 Jesus nos instrui em quanto a como deveríamos viver na terra enquanto esperamos, e ao mesmo tempo ajudamos a produzir, o Seu reino. Ele nos disse que “fizéssemos negócios com isto ate que eu voltar” (vs. 13). O isto são minas, o que certamente fala de um uso sábio do dinheiro, mas num sentido mais amplo representa os talentos, destrezas e habilidades que Deus tem dado a cada um de nos. Deus nos criou com um propósito. Deseja que trabalhemos como sócios com Ele para tomar domínio sobre a terra ao usarmos os talentos que nos tem dado. Estes talentos se expressam no negocio ou a obra a qual nos chamou. Nosso trabalho é uma parte vital do plano de Deus para nos e para as nações. À medida que formos fieis em trabalhar duro e em multiplicar o que nos tem dado, nessa medida estaremos participando em produzir o Seu reino sobre a terra e sendo uma benção para as nações.

Podemos aprender muito em como discipular hoje as nações a partir dos exemplos dos Cristãos que Deus tem usado ao longo da historia. Seguidamente mencionaremos alguns Cristãos que tem contribuído em cumprir o mandato cultural ao fazer negócios com os talentos que Deus lhes deu em vários campos. Uns poucos destes pioneiros são examinados brevemente para que possamos aprender e sermos inspirados por seus exemplos.

Se quiser continuar estudando sobre o assunto recomendo ler Tocar o Céu e Transformar a TerraResgatando a Cosmovisão Bíblica e dá uma olhada nas dicas de leitura que tem alguns livros ali muito bons que tratam desse assunto.

No amor de Jesus.

Pedro Quintanilha ><>

O Papel da Igreja no Cenário Político

urna-eletronica

” e não sejais cúmplices das obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as ” Ef 5.11

Mentiras, corrupções, injustiças, hipocrisias,  maldades… São alguns dos ingredientes que fazem parte do cardápio político brasileiro. Todas essas coisas parecem não ter fim, enquanto assistimos a tudo inertes sem fazer absolutamente nada para evitar ou acabar com toda esta tragédia.

Todavia, a palavra de Deus revela-nos um lado que muitas vezes não queremos ver ou admitir: O Senhor considera todos os envolvidos responsáveis (Isaías 9.16,17). Isto quer dizer que perante Deus tanto os que lideram quanto os liderados tem suas responsabilidades, principalmente aqueles que fazem parte do povo de Deus.

Nunca se fez tão importante o papel político da igreja como nesses dias. Não podemos nos calar diante de tanta injustiça de um lado e omissão do outro. A igreja precisa assumir uma postura profética, semelhante a de Jeremias, que falou tanto internamente (Israel), quanto externamente (nações incrédulas). Precisamos levantar-nos nesta geração e dizer aquilo que o Espírito Santo tem falado através das Escrituras. Creio que Deus em breve julgará toda essa sujeira que cobre nosso País.

Diante do estado caótico que nosso país vivencia, não podemos ser omissos.

Não se conforme com o “Voto Nulo”, mas faça uso do mandamento apostólico: “E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém reprovai-as”. Ef 5:11

Não venda seu voto. Não eleja quem não vai lhe representar dignamente. Não se conforme com a presente situação deste país.

Talvez você diga que “não sabe em quem votar” porém, uma coisa você precisa saber: Em que você NÃO DEVE votar. Faça pelo menos uma lista de quem você sabe que não deve receber seu voto, principalmente aqueles que do seu conhecimento estejam comprometidos com a corrupção.

Eu e você, discípulos do Senhor, sabemos que a solução para o nosso Brasil encontra-se no Senhor Jesus Cristo. “Feliz a nação cujo Deus é o Senhor…” (Salmo 33:12a). Porém, precisamos saber que Deus reprova os guias que desorientam o povo, mas também não se agrada do povo que se permite ser induzido ao erro. Líderes corruptos e liderados omissos, tanto um quanto estão “na mira” do Senhor dos Exércitos.

Extraído do Boletim Informativo do Projeto Ide.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Igreja nas Casas ou Casa uma Igreja?

Igreja nas Casas

Quando descobri que Igreja não era um prédio isso mudou minha vida, já era um dito cristão, mas vivia uma vida sem compromisso com Deus e o evangelho. Não só pela falta de entendimento, mas por falta de vergonha na cara mesmo. Claro que a falta de entendimento também nos leva a uma falta de responsabilidade.

O que mudou então quando entendi que pessoas eram a igreja e não um prédio? Digo que tudo mudou, pois agora o lugar sagrado não é aquele que frequentamos domingo, mas sim nossas vidas, santo não é o “santuário”, mas eu. Agora tenho necessidade de ter reverência demonstrada na minha vida, não só me comportar bem em uma reunião.

Outra questão importante foi quando comecei a ler as escrituras e alguns livros e ver que as reuniões da Igreja não precisavam ficar limitadas a um dia da semana em um lugar especial. Assim com os primeiros discípulos a igreja poderia se reunir publicamente e de casa em casa.

Isso foi fantástico igreja em uma casa, pessoas que compartilham da mesma fé juntas e buscando ao seu Deus em suas casas, abrindo seus corações, orando por questões comuns, desfrutando de uma amizade verdadeira que não está limitada a um dia da semana, aprendendo a criar seus filhos, lidar com suas fraquezas, podendo demonstrar quem são de verdade, sem capa de religiosidade, que maravilha.

Aí vem a primeira decepção, começo a perceber que muitos irmãos que se dizem igreja não vivem como igreja e tratam o lugar de reunião como igreja, mesmo sem dizer que aquele lugar é igreja.

Então vem a segunda decepção mais irmãos que levam para as casas o mesmo protocolo de um culto convencional só que substitui a oferta pelo lanche no final. O resto é tudo igual.

Não sei se dá vontade de rir ou chorar…

Graças a Deus pela sua misericórdia que nos suporta e nos ensina cada dia a nos parecer mais com seu filho Jesus, igreja nas casas, igreja tradicional, igreja orgânica, igreja emergente, igreja missional, igreja comunidade, sem nome, com nome, denominação, movimento, blá blá blá.

Tenho chegado à conclusão de que o que importa mesmo é o cumprimento da missão ser e fazer discípulos.

Cumprir o propósito eterno de Deus de sermos uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus para glória de Deus. Discipular e transformar as nações tocando e influenciando cada aspecto de nossa sociedade com o evangelho do Reino.

Porque dele, por meio dele, Para ele são todas as coisas.

Que possamos nos abrir para que o Espírito Santo e nossos irmãos cooperem para transformar nossa essência por que a forma, na boa, pouco importa. O que importa realmente é o conteúdo, acredito que o conteúdo molda nossa forma e não o contrário. Uma questão em relação à forma, acredito que ela precisa ser flexível bastante para não impedir o avanço do Reino.

Tire suas próprias conclusões.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

O mal da humanidade me pegou!

Orgulho o mal da humanidade

Quero falar sobre algo que não é muito legal, ORGULHO.

Acredito que o orgulho seja o grande mal da humanidade, o orgulho foi o que nasceu no coração de Lucifer e o fez se tornar Satanás ( o opositor, adversário). Nós mesmos herdamos de nosso antigo pai Adão a herança do pecado que está fundamentada no orgulho e se desenrola na incredulidade e em consequência vem à desobediência.

Estou escrevendo sobre isso porque ontem, fui vítima do orgulho do meu coração. Estava no trânsito levando minha esposa para o trabalho quando um carro de Auto Escola passou o sinal verde e eu fui atrás dele, o sinal estava prestes a fechar, mas ainda estava verde acelerei e ele freou de forma brusca, fui freando atrás dele e encostei a roda da frente da minha moto no carro dele. A minha roda tocou, isso mesmo tocou atrás do carro dele. Ele  virou pra mim e falou alguma coisa que não entendi bem, mas sabia que era desagradável, então eu mais que depressa lhe respondi irritadíssimo, porque?

Eu sei: Orgulho!

Ele foi atrás de mim até a chegada do trabalho da minha esposa desceu do carro e começou a querer  dar uma lição de moral, o meu orgulho em primeiro momento falou mais alto, tentei argumentar, mas minha santa esposa me deu um cutucão e falou; Para Pedro! Beleza ouvi ele baixei a cabeça e pedi desculpas.

Ele venceu! Isso gritou dentro de mim, me senti desmoralizado, me senti mal, me senti com raiva, me senti perdendo a oportunidade de testemunhar a vida do Reino, me senti perdendo mais uma oportunidade de demonstrar humildade.

Orgulho, orgulho, orgulho que desgraça…

Senti vontade de chorar, continuo precisando mais ainda da graça de Deus, da sua misericórdia. Desejo responder positivamente ao que Jesus ensinou ser manso e humilde, não é fácil principalmente no trânsito, mas ninguém disse que seria fácil.  Sei que é possível, desejo alcançar essa realidade.

Estou compartilhando esse texto com vocês para que vocês não precisem passar por isso, aprendam com esse erro meu. Uma vez ouvi dizer que sábio é aquele que aprende com os erros dos outros.

Meu desejo é que vocês sejam sábios, aprendam com esse meu erro.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>