Completando o Mandato Cultural – Por Stephen McDowell

Como os Cristãos têm Ajudado a Estabelecer o Reino de Deus entre as Nações

Completando a Comissão

O Plano de Deus para a Humanidade

Qual é o propósito ou a missão do homem na terra? Os Cristãos com freqüência respondem a isto se referindo a Grande Comissão (Mateus 28:18-20), e com toda a razão, porem nos últimos anos um grande segmento da Igreja tem limitado o significado disto a conversão somente pessoal. Certamente a Grande Comissão inclui o Mandato

Evangelístico, de redimir o homem, mas também inclui o Mandato Cultural, o de redimir a terra.

Deus se tem revelado a Si próprio como o Rei da Criação quanto o Redentor da Humanidade. O Seu reinado sobre a criação se descreve nos capítulos iniciais da Bíblia. O propósito de Deus para o homem também é revelado no livro de Gênesis.

Para entendermos apropriadamente o plano de Deus para o homem devemos entender uma verdade fundamental declarada em Genesis 1:1 – a soberania de Deus. Deus declara a sua existência desde o principio. Ele declara que é o Criador, por isto Seu senhorio sobre a criação. Ele governa sobre toda a criação. “Os céus são os céus do Senhor… Todo o que quis tem feito” (Sal. 115:16, 3). Devido a que Ele é soberano, todos os homens são responsáveis perante Deus.

O primeiro livro, Gênesis, também ensina o aspecto distintivo do homem. O homem é feito a imagem de Deus (1:26-27); por tanto é único e distinto. O homem manifesta o principio da individualidade – no seu chamado e nas suas características. Todos nos temos um propósito geral comum, mas cada um tem um propósito específico distinto.

Deus lhe deu uma missão a Sua criação especial desde o principio – o Mandato Cultural ou de Domínio (vs. 28). Deus lhe deu ao homem a missão de senhorear sobre a terra, de tomar domínio. O Salmo 8:6 diz que somos feitos para governar sobre as obras das Suas mãos.

Deus criou o homem a Sua própria imagem e semelhança como o Seu vice-regente ou administrador para governar sobre a terra. Tristemente o homem caiu do propósito para o qual Deus o criou. Desta maneira, o homem perdeu tanto o seu íntimo relacionamento com Deus quanto a sua habilidade para governar apropriadamente a terra. O pecado não somente separou o homem de Deus, mas também produziu uma maldição e uma grande perda. O homem era incapaz de cumprir apropriadamente o mandato cultural.

A natureza redentora de Deus se faz evidente de ali em diante. O homem tinha caído de aquilo para o qual Deus o tinha criado h– tanto no seu ser quanto no seu agir.

Então Deus planejou redimir o homem e restaurar nele a autoridade e administração (mordomia) delegadas sobre a terra. Deus prometeu que a semente da mulher destruiria a serpente, Satanás (Genesis 3:15). Cristo foi aquela semente que veio para redimir o homem e reverter os efeitos da queda e a maldição. Ele devolveu ao homem a habilidade de cumprir a missão originalmente entregue a Adão, como também restaurou o relacionamento do homem com Deus.

A historia da redenção se desenvolve nas varias alianças que Deus estabeleceu com os homens. A entrega da lei no Pacto Mosaico também foi usada por Deus para impulsionar o Seu programa redentor. Naturalmente, o propósito redentor de Deus tem encontrado seu cumprimento final na Nova Aliança a través de Cristo, quem foi imolado e que pelo seu sangue Deus tem redimido os homens para si mesmo “de toda linhagem, língua, povo e nação” (Apocalipse. 5:9).

salvaçao em cristo

O Propósito da Salvação em Cristo

O propósito completo da salvação em Cristo não pode ser entendido a menos que entendamos o propósito original do homem. A salvação vai alem de fazer que o homem entre no céu. Inclui restaurar o homem a sua posição original. Cristo lhe trouxe ao homem a restauração do pacto que Ele tinha com Deus, da gloria que tinha de Deus, e do mandato de domínio. Jesus também trouxe o reinado e o governo do Seu Reino a toda a criação. Ele proclamou e demonstrou o evangelho do Reino (ou seja, o governo, justiça, verdade e paz de Deus em todas as áreas da vida).

A sua obra expiatória também reverteu a maldição devido à queda do homem. A maldição afeta aos indivíduos através da morte, as enfermidades, o cativeiro, etc., e por sua vez também afeta todas as esferas da vida. Cristo trouxe redenção aos indivíduos, mas também às instituições e a todas as esferas da vida (incluindo a lei, o governo, a educação, as artes, os negócios). A redenção é tão ampla como a abrangência do pecado.

O desejo de Deus, como Jesus nos ensinou a orar, é que o Seu reino venha e que a Sua vontade seja feita na terra como é feita nos céus. Temos sido redimidos com um propósito. Em Cristo temos sido restaurados a condição de filhos e estamos agora na posição de obedecer tanto o Mandato Cultural quanto o Mandato Evangelístico. Com respeito ao Mandato Cultural, Deus nos tem restaurado a mordomia. Através de Cristo somos chamados de volta ao propósito original de Deus – para viver a Sua imagem e para sermos “frutíferos e a aumentar em número, a encher a terra e dominá-la. Para senhorear sobre… todas as criaturas que se movem sobre a terra” (Genesis 1:28). Temos sido restaurados para servir a Deus como os seus vice-regentes sobre a terra.

As nações também são afetadas pela obra redentora de Cristo. Em Mateus 28:19 Jesus nos disse que fossemos e que fizéssemos discípulos de todas as nações. Matthew Henry disse que a intenção de isto é reconhecer as nações como nações Cristas. Atos 17:26 nos diz que Deus fez as nações e lhes prefixou os tempos e os limites de sua habitação, para que busquem a Deus.

As nações têm obrigações com Deus. George Washington resumiu muito bem as obrigações que as nações têm com Deus no documento Proclamação para um Dia de Ação de Graças, guardado a quinta-feira 26 de Novembro de 1789: “É a Obrigação de todas as Nações reconhecerem a Providencia do Deus Todo poderoso, obedecer a sua vontade, e ser agradecidas pelos seus Benefícios, e implorar humildemente a sua Proteção e Favor. ”

Necessitamos ver que a nossa comissão é grande e que vai muito alem da conversão de indivíduos, embora isto seja de primeira importância.

remir a terra, nosso mandato cultural

Redimindo a Terra

O Mandato Cultural nos chama para usar todos os nossos recursos para expressar a Sua imagem e semelhança na terra. Para cumprir este mandato requer de nos que descubramos a verdade através das ciências, apliquemos a verdade por meio da tecnologia, interpretemos a verdade através das artes e as letras (a área de humanidades: a literatura, a filosofia, etc.), estabeleçamos a verdade através do comercio e a ação social, transmitamos a verdade por meio da educação e as artes, e preservemos a verdade através do governo e a lei.

Historicamente os Cristãos têm estado na frente em cada uma dessas áreas. À medida que estes homens e mulheres têm sido fieis para cumprir o chamado em suas vidas e utilizar os talentos que Deus lhes deu, nessa medida tem contribuído enormemente para tomar domínio sobre a terra e estender os propósitos e o governo de Deus neste mundo.

Na parábola de Lucas 19:11-27 Jesus nos instrui em quanto a como deveríamos viver na terra enquanto esperamos, e ao mesmo tempo ajudamos a produzir, o Seu reino. Ele nos disse que “fizéssemos negócios com isto ate que eu voltar” (vs. 13). O isto são minas, o que certamente fala de um uso sábio do dinheiro, mas num sentido mais amplo representa os talentos, destrezas e habilidades que Deus tem dado a cada um de nos. Deus nos criou com um propósito. Deseja que trabalhemos como sócios com Ele para tomar domínio sobre a terra ao usarmos os talentos que nos tem dado. Estes talentos se expressam no negocio ou a obra a qual nos chamou. Nosso trabalho é uma parte vital do plano de Deus para nos e para as nações. À medida que formos fieis em trabalhar duro e em multiplicar o que nos tem dado, nessa medida estaremos participando em produzir o Seu reino sobre a terra e sendo uma benção para as nações.

Podemos aprender muito em como discipular hoje as nações a partir dos exemplos dos Cristãos que Deus tem usado ao longo da historia. Seguidamente mencionaremos alguns Cristãos que tem contribuído em cumprir o mandato cultural ao fazer negócios com os talentos que Deus lhes deu em vários campos. Uns poucos destes pioneiros são examinados brevemente para que possamos aprender e sermos inspirados por seus exemplos.

Se quiser continuar estudando sobre o assunto recomendo ler Tocar o Céu e Transformar a TerraResgatando a Cosmovisão Bíblica e dá uma olhada nas dicas de leitura que tem alguns livros ali muito bons que tratam desse assunto.

No amor de Jesus.

Pedro Quintanilha ><>

Evangelho em Foco

Princípios Bíblicos + Fotografia

O Projeto Evangelho em Foco nasceu do desejo de promover a edificação da igreja através da utilização da arte como meio de veiculação da mensagem de Deus. A união da fotografia com os princípios da palavra busca levar o observador a uma reflexão sobre a mensagem do Evangelho de Cristo. A arte a serviço do Reino, esse conceito é parte principal de um resgate da arte como meio de propagação e projeção do evangelho.

Devemos utilizar todos os nossos recursos: emocionais, físicos, culturais, intelectuais, materiais, financeiros, dons, talentos, nosso tempo! Todos os que nos foram acrescentados ao longo de nossas vidas, com o intuito de promover a mensagem de Cristo na sociedade.” João Egidio 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos do Amigo João Egidio, mais novo colaborador do Reino e Sacerdote.

Aguardem pois muita coisa legal virá desta parceria.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Ampliando o Entendimento sobre Reino de Deus

Pegando carona no último posto sobre Reino de Deus acredito ser oportuno compartilhar com vocês esses slides que foram passados na ECAP em Cabo Frio ministrada pela equipe do Rugido do Leão. 

“O Reino de Deus não é um lugar, umterritório. Não é o céu. Não é a Igreja. Não éuma coisa, um objeto, um estado. O Reino deDeus é uma ação. Essa ação é um ato, é arealidade mais absoluta do universo. O Reino de Deus é o reinar de Deus”  Fábio Souza

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Princípios a Serem Resgatados – Reino de Deus

Finalmente vou dar continuidade a uma série que iniciei em 2009 a partir do meu primeiro artigo escrito, o entendimento sobre o Reino de Deus é o segundo princípio que acredito que deve ser resgatado para nosso pleno caminhar diante de Deus. Se você me acompanha desde aquela época deve se lembrar, se não relembre a introdução e o primeiro princípio que acredito que devemos resgatar.

Reino de Deus

Uma das formas de entendermos o que é alguma coisa é primeiro descobrindo o que ela não é.

“Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.”(Almeida Corrigida Fiel)Rm 14.17

Descobrimos que o Reino não é carnal e sim espiritual, mas ainda não o que exatamente é o Reino.

O Irmão Jorge Himitian nos Fala que, o Reino de Deus é uma ação. O Reino de Deus é a ação de reinar de Deus e esta realidade não pode ser vista pelos olhos físicos por isso Jesus nos disse:

todo aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus(Jo 3.3)

Nós hoje reconhecemos Cristo como nosso Salvador, porém muitas vezes não o vemos como Senhor só que, se não entregarmos nossas vidas para que Cristo seja o Senhor não poderemos ter Ele como nosso Salvador.

Este princípio do reconhecimento do reinado de Cristo em nós é algo que tem de ser vivido e pregado, pois só assim, com Cristo reinando em nós, que conseguiremos iluminar a escuridão.Por muitos anos nos tem sido pregado um outro evangelho cheio de meias verdades, individualista, materialista que massageia o ego,que apresenta a Cristo como um produto bom para os negócios, devemos repudiar este falso evangelho e passar a viver as verdades do Reino de Deus.

“e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Aquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados, e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém.” Ap 1 5,6 (Grifos do autor)

O Senhor nos constituiu reino na qual ele é o Rei e deve reinar eternamente, nos fez também sacerdotes. Isso nos traz a responsabilidade de ministrarmos a ele não somos mais meros espectadores de uma pregação. Nós não nos reunimos para assistir ao culto. Temos um serviço diante do Rei, não temos mais desculpas para continuar vivendo em nossa zona de conforto ou no nosso reino próprio, pois o Reino de Deus é constituído por sacerdotes se não temos sido sacerdotes Cristo não tem reinado em nós.

Que possamos viver o Reino de Deus irmãos, sendo sempre submissos a Ele.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Livro – Quando o Céu Invade a Terra

Livro Quando o Céu Invade A Terra Bill Johnson - Reino e Sacerdote

Este livro desafia todo cristão a caminhar em sinais e maravilhas sobrenaturais como parte natural da vida cotidiana.
É verdadeiramente possível para os seres humanos caminhar no sobrenatural, e Cristo veio para nos mostrar o caminho. É por intermédio da redescoberta de nossa verdadeira identidade nele que podemos começar a mover-nos nas promessas de Deus quando o assunto é milagres.

Partindo de um fundamento bíblico, cuidadosamente elaborado, Quando o céu invade a terra fornece todo o equipamento que precisamos para experimentar o milagre de Deus todos os dias.

Nota do Pedro:

É um livro inspirador, contém muitos testemunhos edificantes que confrontam o estilo de vida teorico/filosófico. Nos chama a prática e demonstra a realidade do sobrenatural fora das quatro paredes dos locais de reunião da igreja.

Bill Johnson relata um pouco de sua história conta sobre a vida dos alunos de sua escola de ministério e como eles não estão conformados com a situação do mundo atual, acreditam que podem mudar as coisas através de um posicionamento de vida baseando em pureza e poder.

Através de um caráter transformado sendo exemplo de honra e amor para a sociedade e poder sobrenatural que vem da parte de Deus por meio do Espírito Santo que transforma situações. Milagres como Jesus fazia são acessíveis a nós hoje.

Bill Johnson declara e conta relatos de pessoas que têm experimentado desse poder em suas vidas e têm desfrutado de mudanças em diversos níveis, seja com curas, milagres de provisão e multiplicação. Muito Legal. Recomendo.Nota 4.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Preparando o Caminho Através do Exemplo

Ml 4.6 “Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais; do contrário eu virei e castigarei a terra com maldição. “

O Contexto do Livro de Malaquias: Tempo pós exílico onde o povo estava em decadência espiritual, Malaquias se levanta profetiza com o propósito de levantar o povo da sua decadência e imoralidade ele deixa registradas também profecias que dizem respeito a primeira e segunda vinda do Messias.

– O que é converter o coração dos pais aos filhos?

Converter fala de mudar o caminho.

Os corações dos pais precisam se voltar para os filhos e dos filhos para os pais. Note que o coração dos filhos se voltarem para os pais vem em segundo lugar, ou seja primeiro o coração dos pais precisa se voltar para os filhos a consequência disso é o coração dos filhos se voltarem para os pais.

É dever dos pais se voltarem para os seus filhos pois são os pais que possuem autoridade direta de Deus sobre a vida dos filhos e são eles que comunicam aos filhos os atributos e a identidade de Deus.

Se isso não acontecer Deus disse que feriria a terra com maldição, que maldição é essa?

Palavra (Kjérem ou Cherem) no Hebraico : Como fechar de uma rede. relacionada a condenação, destruição total.

O Texto de Malaquias se cumpre em parte na vida de João Batista pois o antigo testamento são figuras ou sombras do que haveria de vir segundo Hb10.1

– Esse texto se cumpre em parte na vida de João Batista “E irá adiante do Senhor, no espírito e no poder de Elias, para fazer voltar o coração dos pais a seus filhos e os desobedientes à sabedoria dos justos, para deixar um povo preparado para o Senhor”. Lc 1.17

Outra aplicação que podemos fazer desse texto é que ele deve se cumprir na vida da igreja pois assim como João, o Batista preparou o caminho para a primeira vinda de Jesus, nós como igreja temo o dever de preparar o caminho para sua segunda vinda.

O que é preparar o caminho?

Preparar o caminho é viver antecipadamente aquilo que se vai viver depois.

Ex: Nóe viveu antes do dilúvio viveu com uma mentalidade que era para se viver depois do dilúvio. Moisés viveu 40 anos no deserto antes de levar o povo a peregrinar por mais 40 anos no deserto.

Como isso pode ser prático pra nós:

Os pais precisam viver e ser exemplo para os seus filhos se quiserem que eles vivam a vida de Jesus. Eles tem que viver a vida de Jesus e a partir do que eles veem nos pais assim terão um modelo para reproduzir. Como Jesus fez com seus discípulos. Ele através do exemplo de vida ensinou. Mesmo sem palavras ele ensinava pois a vida dele era o próprio ensino.

Os filhos podem não ouvir o que os pais falam mas eles vêm o que eles fazem.

Um exemplo meu: Certa vez vi meu pai de joelhos orando no sofá de nossa casa eu passei por ele e senti um grande desejo de orar e me relacionar mais intimamente com Deus. Meu pai nem sabia que eu o tinha visto. Ele não precisou falar nada, não precisou me mandar orar ou buscar Deus, o fato de ele buscar Deus em oração falou ao meu coração mais do que qualquer palavra.

– A figura do pai comunica para o filho Deus como Pai:

O pai comunica a identidade, autoridade para o filho.

Os filhos que tem dificuldade de ver Deus como Pai geralmente tem um relacionamento ruim ou distante com seu pai.

– A figura da mão comunica para o filho o Espírito Santo

O Espirito Santo apesar de não ter sexo possui características muito similares as da mãe

Consolador, Conselheiro, Aquele que Convence, (Jo 14.16,26; 15.26) Ele se intristece (possui emoções)(Ef.4.30), Intercede por nós Rm8.26,27.

Geralmente filhos que tem dificuldade de se relacionar com Espírito Santo este não teve um bom relacionamento com sua mãe.

A responsabilidade dos pais é muito grande, pois eles foram escolhidos por Deus para formar nos seus filhos a identidade de Deus. Isso será mais um passo em direção ao caminho que necessita ser preparado para que o Senhor venha.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

A Importância da Igreja na Cidade – Felipe Assis

Uma abordagem contundente em relação ao evangelho e como o evangelho pode se tornar relevante para influenciar as cidades. Interessante a parte que ele trata que o Evangelho não visa estritamente transportar as pessoas da terra para o céu, mas restaurara a comunhão e o relacionamento do homem com Deus por meio de Cristo. Este evangelho possuí um ecossistema ele precisa se preucupar com o ESPIRITUAL, SOCIAL, CULTURAL.  Quando o evangelho se torna relevante nessas três áreas existe a possibilidade de influenciar as cidades para se tornar semelhante a cidade que Deus está construindo (Nova Jerusalém).

Se não tiver paciência de ver o video todo recomendo que assista pelo menos a partir dos   35 minutos.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Dia Global de Evangelismo e Oração

Um Dia: 2 Junho 2012 Um Mundo: 200 Naçõesma Mensagem: Jesus CristoO Dia Global de Evangelismo e o Dia Global de Oração juntar-se-ão para unir os dois pilares fundamentais do Cristianismo: Oração e Evangelismo.A visão do Dia Global de Evangelismo é a mobilização de Cristãos em mais de 200 nações.
A Wikipedia teve início em 2001 com a participação de 19 profissionais os quais em 3 anos escreveram apenas 20 artigos. Eventualmente colaboradores não-profissionais deram continuidade escrevendo mais de 20 milhões de artigos poucos anos depois. Wiki significa “fácil”. O Dia Global de Evangelismo é um “Wiki-dia-evangelistico”
Os não-profissionais irão alcançar milhões de pessoas com o Evangelho em todos os lugares; quer seja em hospitais, prisões, na vizinhança ou nas ruas.
Isto  não  pode  ser  alcançado  por  uma  única  pessoa  ou  organização,  mas  somente  através  da  unidade  global  do  corpo  de  Cristo,  em  que  juntos  oramos,  trabalhamos  e  nos   posicionamos.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Acústico 1CR25 – Rugido do Leão – Lançamento dos EPS “Arder e Iluminar” e “Prontos Para Ir”

O programa Acústico 1Cr25 foi gravado em junho de 2011 para contar a história por trás das músicas dos discos “Arder e Iluminar” e “Prontos para Ir” e debater sobre o impacto que elas causam naqueles que as escutam. Um ambiente informal, muitos violões e muita verdade regaram esse evento que, certamente, foi marcante para aqueles que participaram.

“Os cds estão muito bons recomendo a todos. Eu os tenho usado em momentos de oração e adoração.” Pedro Quintanilha ><>