Sonho Em Viver Isso Plenamente

Que possamos viver uma cultura de avivamento.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Anúncios

12 Líderes ou 5 Ministérios? Por Luiz Hermínio

É indiscutível que os 12 homens escolhidos por Jesus viveram o propósito ministerial para o qual foram designados. Seguramente, os mesmos receberam a incumbência de difundir o evangelho do Reino nos primeiros passos da igreja aqui na terra. Os evangelhos estão recheados da visão de Cristo para seus 12 primeiros discípulos: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Em outras palavras Jesus nos instrui a gerarmos pessoas que reproduzam na vida o caráter de Jesus e que tenham paixão pelo próximo, desejando que cada um seja salvo pelo poder do Nome de Jesus. Esta ordem continua ressoando em nossos ouvidos e inflamando nossos corações até os dias de hoje.

Algumas denominações instituem 12 líderes como cargos ministeriais de cobertura da igreja que é um modelo eclesiástico a ser seguido. Porém, a bíblia não instrui que separaremos 12 homens, antes, o próprio Deus concedeu a sua igreja 5 Ministérios distintos os quais são a base vocacional para a vida da igreja. O que faz a diferença, portanto, não são 12 líderes, mas sim se estes 12 estiverem encaixados dentro a vocação para a qual foram chamados. A instrução bíblica para os 5 ministérios encontra-se em efésios 4. Abra sua bíblia e leia atentamente o texto, e por favor, caminhe comigo sobre estas águas acompanhando este raciocínio revelado. Aqui fica evidente que não estamos falando de cargos ou títulos e sim de um chamado específico.

Este princípio bíblico nos leva ao cumprimento de três conseqüências espirituais para a igreja: o Aperfeiçoamento dos Santos que está ligado ao aprimoramento espiritual dos membros, o Desempenho do Ministério que está ligado a performance de cada chamado. Creio que ainda estamos muito ligados a posições hierárquicas e não a chamados vocacionais. Faço menção aos diáconos, presbíteros, obreiros como um todo: tesoureiros, porteiros, zeladores, intercessores, levitas na música, na dança, e nas artes, todos são sacerdotes sim. Portanto, nem todos são apóstolos, profetas, mestres, evangelistas ou pastores. Conheço unção apostólica sobre pastores e até mesmo de evangelistas, mas jamais vi alguém ser ungido a profeta ou mestre. Todos são ungidos a Pastor, e aqui eu faço honra a este importante ministério, mas é que este rótulo pode esconder e abafar a vocação se estiver sobre alguém que não foi chamado para o pastorado. E o terceiro tópico trata da Edificação do Corpo de Cristo, isso fala da estrutura básica de uma igreja como sendo o meio de locomoção de Jesus na terra.

Estes fatores nos levarão a plenitude de uma igreja segundo o coração de Deus pois fluiremos em Unidade da fé, sem competições, visões bloqueadas, estagnação, isolamento e individualismo. Pois sabe porque isso acontece em algumas igrejas? É simples: Ministérios desencaixados! São mestres tentando ser apóstolos travando o ensino e não conseguindo cobrir outros líderes, pastores sendo profetas e isso é perigoso, um profeta tem uma palavra de confronto e talvez não saiba colocar a ovelha no colo e curar suas feridas, e tem até evangelista preso entre 4 paredes de uma igreja, o povo até vibra com ministrações eloqüentes mas não é apascentado. Chegaremos ao Pleno conhecimento do filho de Deus pois haverá uma revelação clara de quem Jesus é e daquilo que Ele espera de seus seguidores. E por fim chegaremos ao que mais almejamos: A maturidade espiritual alcançando a Estatura de varão perfeito. Engraçado que nenhuma das conseqüências vindas do cumprimento desta lei prometem crescimento quantitativo. Se você observar, cada eixo prometido libera uma palavra de crescimento qualitativo, o número de pessoas, será apenas uma conseqüência de uma igreja que vive o que prega e que de cara denuncia que tem caráter o caráter de Jesus.

É fácil entendermos os 5 Ministérios, eles literalmente cabem na sua mão: O pastor é aquele que cuida da ovelha e a conduz. O Mestre a ensina com treino e disciplina, o Evangelista busca ovelhas perdidas e novos rebanhos atraindo-as para perto de si, enquanto o Profeta lhes aponta a direção dos melhores pastos verdejantes, lhes avisa das mudanças climáticas de acordo com cada tempo e estação. E o Apóstolo, bem, certifica-se de que cada um tem cumprido bem seu papel, pois, flui através de todos com milagres, missões e palavra. O Apóstolo é quem recebe a visão e a constrói em pessoas cumprindo a vontade do Pai que diz: Portanto ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

O fato é que ministério não é cargo e sim função no corpo! Sejam quantos forem os líderes de sua igreja, o qual seja o modelo por ela adotado, jamais podermos sobrepor os princípios por causa dos métodos. Que independente do número, eles possam ter bem definidos seus ministérios no corpo. Os 5 Ministérios existem para nos levar a plenitude em Deus e para nos guardar de falsos ensinamentos e doutrinas como trata o v.14 do capítulo em questão. Mas aqui fica um questionamento: Onde você se encontra nos cinco ministérios dentro da igreja do Senhor? E em qual deles você se encaixa?

Fonte: http://www.mevam.org.br/ministerio/?pg=lideranca

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Missionários de Oração por Angelo Bazzo

Em todo o Corpo de Cristo, o fato de Deus chamar pessoas para missões específicas é algo normal. Cremos em “chamado”, cremos em um Deus que gera vocação. Entre os cristãos, a pessoa vocacionada recebe o nome de “missionário”. Este nome é fantástico, pois mostra que a missão de Deus encontra espaço na existência de um filho seu. Ser missionário é ser um vaso cujo o conteúdo é a missão de Deus.

Mas qual é a missão?

Nas escrituras vemos que a missão principal de Deus está ligada à comunhão. Deus, em sua essência triuna, é uma relação entre três pessoas. E o maior desejo e missão de Deus é fazer com que sua essência seja expandida em todo o Universo. A missão de Deus é comunhão e a expansão desta comunhão.

Nos profetas existe um versículo interessante que diz : “Deus não fará coisa alguma sem antes revelá-la aos seus servos os profetas” (AM 3.7). Creio que isso nos mostra que as ações de Deus estão relacionadas com ele revelar o que pensa para algumas pessoas. Logo, o plano de Deus de expandir sua comunhão, acontece por meio de ele ter comunhão com pessoas. Falando de outra forma: para expandir a comunhão Deus tem comunhão.

Por isso, penso que um verdadeiro missionário é alguém que está irremediavelmente chamado para expandir a comunhão de Deus por meio da comunhão com Deus.

Mas como isso aconteceria na prática?

Creio que a oração é a resposta.

Quando pensamos na palavra comunhão precisamos pensar também na palavra comunicação, pois as duas vem da mesma raiz. E de fato é impossível se ter comunhão sem comunicação.

Por isso, quando digo que a oração é a resposta, estou querendo dar a entender que a oração é a comunicação que gera comunhão.

Sabemos que a oração correta é aquela feita de acordo com a vontade de Deus. Por isso, para orarmos dentro da realidade comunicativa da comunhão é preciso conhecer a vontade de Deus.

E é aí também que a comunhão se desenrola. Quando Deus mostra sua vontade é a via celestial comunicando sua parte. Quando oramos esta vontade em resposta ao que temos entendido, então neste exato momento a comunhão está acontecendo.

Deus fala sua vontade e o homem ora, isso é comunhão.

Desta forma eu chego à expressão “missionário de oração”. Pois o intercessor nada mais é do que aquele que, conhecendo a vontade de Deus, passa a orar e viver em prol da realização de tal vontade.

Creio que nestes dias Deus está levantando um novo tipo de missionário na terra. Ele está erguendo pessoas que estão vocacionadas para orar. Isso pode parecer estranho por dois motivos:

-Primeiro porque pensamos que todo cristão é chamado para isso. E este pensamento é correto. Mas temos que ser realistas e perceber que de fato os cristãos não oram. Olhe ao redor, veja quantas pessoas que você conhece que são devotadas a oração?

É por isso que precisamos de pessoas que são chamadas de forma integral para orar. Pois após estarem totalmente mergulhadas nesta realidade, elas serão enviadas por todo o globo terrestre para despertar o Corpo de Cristo para sua “missão sacerdotal”.

-Em segundo lugar, pensamos que oração não é um trabalho, ou uma atividade, ou algo que mereça atenção tão grande de tempo e foco. E se pensamos assim, simplesmente provamos o ponto acima. De fato estamos totalmente desligados da missão de Deus, ainda que carreguemos o título de cristãos.

Deus, neste tempo, esta chamando homens e mulheres que vão viver aquilo que Deus tem para todos, mas que a maioria ainda não vive, e assim poderão ser enviados pelo Corpo de Cristo para que cada membro faça o que sempre deveria de ter feito.

Isso acontecerá antes da segunda vinda, e isso preparará a Igreja de Jesus ( Ap19).

Fonte: http://www.revistaimpacto.com.br

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Acústico 1CR25 – Rugido do Leão – Lançamento dos EPS “Arder e Iluminar” e “Prontos Para Ir”

O programa Acústico 1Cr25 foi gravado em junho de 2011 para contar a história por trás das músicas dos discos “Arder e Iluminar” e “Prontos para Ir” e debater sobre o impacto que elas causam naqueles que as escutam. Um ambiente informal, muitos violões e muita verdade regaram esse evento que, certamente, foi marcante para aqueles que participaram.

“Os cds estão muito bons recomendo a todos. Eu os tenho usado em momentos de oração e adoração.” Pedro Quintanilha ><>

O Evangelho é a antítese da sociedade atual – Shane Claiborne

Shane Claiborne, que militou com Madre Teresa, fez preleção principal e deu o tom do evento: “Nossa fé precisa estar engajada às ‘Calcutás’ deste mundo”

“O Evangelho é a antítese da sociedade atual”

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Características do Cristianismo que se Movimenta

Como essa multiplicação irá se expressar onde estamos?

Como podemos ver no mundo um surgimento o nascimento de um movimento de Igreja?

O movimento de multiplicação se dá quando a Igreja se multiplica com um aumento de 50% do número de convertidos. Esse crescimento vem pelo acréscimo de novos convertidos até a terceira geração de igreja.

Para começar com um movimento de multiplicação de igrejas é preciso começar multiplicando tudo.

Precisamos criar uma cultura no meio da igreja de multiplicação essa é uma ideia dos Wesley.

Tudo tem de multiplicar: discípulos, grupos, ministérios, igrejas.

Como começamos?

  • Precisamos ser pessoalmente um exemplo de multiplicação, precisamos ter filhos espirituais. Aqueles que são líderes e pastores precisam dizer eu vou multiplicar.
  • Movimentos acontecem quando igrejas plantam igrejas, que plantam igrejas.
  • Outras coisas se querem observar o que é um movimento é convidar plantadores de igrejas para participar do movimento.  Isso é um pouco “arriscado”, pois os plantadores de igreja são pessoas difíceis de lidar. Quando as pessoas decidem não fazer parte de uma igreja estabelecida, mas querem ser pioneiros em algo novo geralmente existe alguma coisa errada com eles. Existe uma motivação nessas pessoas para começar uma coisa nova. Eles tem características como empreendedor, criativo que não pensa segundo os padrões estabelecidos. Não deveríamos nos ofender ou ficar surpresos de que o plantador de igrejas é diferente de outros pastores.
  • Quando os discípulos ouviram o ide de Jesus eles foram e plantaram igrejas. Quando queremos interpretar um texto bíblico temos de perguntar o que ele representa para o primeiro público de ouvintes.

Falando sobre ser missional: Se queremos nos chamar de missionais temos de pensar em nos envolver em 3 coisas:

Servir localmente, plantar em uma região mais ampla e adotar por todo planeta aquelas pessoas que não foram alcançadas pelo evangelho. Toda igreja pode participar dessa ação multifacetada da missão de Deus

Voltando a plantação de igrejas:

  • Precisamos plantar por multiplicação e não pelo financiamento, não podemos comprar nossa entrada no movimento de multiplicação de igreja, o dinheiro acaba “atrapalhando” a missão, pois o dinheiro acaba criando uma expectativa que aja mais dinheiro.
  • Tudo que existe na igreja deve já nascer grávido.
  • Abrir novos caminhos ( se queremos mais temos de abrir mais estradas)
  • Leigos plantando igrejas, pessoas de outros grupos étnicos plantando igrejas, pastores que trabalham em um emprego “secular” plantando igrejas.
  • Paulo impôs as mãos designou líderes muito mais cedo do que nós estamos dispostos a fazer. Temos de avaliar se vamos usar os métodos missionários de Paulo ou os nossos.
  • Por último, para fazermos tudo isso temos de superar o medo. Superar o medo de liberar pessoas das nossas igrejas para missões, superar o medo de que se levantarmos lideres muito cedo eles vão nos abandonar. Vencemos esses medos não fingindo que eles não existem, mas criando sistemas para apoiar nossos lideres hoje e no futuro.

Que o nome e a reputação de Jesus seja conhecido amplamente.

Obs: anotações da terceira palestra de Ed Stetzer  na conferência Atos 29.

Pedro Quintanilha ><>