Igreja nas Casas ou Casa uma Igreja?

Igreja nas Casas

Quando descobri que Igreja não era um prédio isso mudou minha vida, já era um dito cristão, mas vivia uma vida sem compromisso com Deus e o evangelho. Não só pela falta de entendimento, mas por falta de vergonha na cara mesmo. Claro que a falta de entendimento também nos leva a uma falta de responsabilidade.

O que mudou então quando entendi que pessoas eram a igreja e não um prédio? Digo que tudo mudou, pois agora o lugar sagrado não é aquele que frequentamos domingo, mas sim nossas vidas, santo não é o “santuário”, mas eu. Agora tenho necessidade de ter reverência demonstrada na minha vida, não só me comportar bem em uma reunião.

Outra questão importante foi quando comecei a ler as escrituras e alguns livros e ver que as reuniões da Igreja não precisavam ficar limitadas a um dia da semana em um lugar especial. Assim com os primeiros discípulos a igreja poderia se reunir publicamente e de casa em casa.

Isso foi fantástico igreja em uma casa, pessoas que compartilham da mesma fé juntas e buscando ao seu Deus em suas casas, abrindo seus corações, orando por questões comuns, desfrutando de uma amizade verdadeira que não está limitada a um dia da semana, aprendendo a criar seus filhos, lidar com suas fraquezas, podendo demonstrar quem são de verdade, sem capa de religiosidade, que maravilha.

Aí vem a primeira decepção, começo a perceber que muitos irmãos que se dizem igreja não vivem como igreja e tratam o lugar de reunião como igreja, mesmo sem dizer que aquele lugar é igreja.

Então vem a segunda decepção mais irmãos que levam para as casas o mesmo protocolo de um culto convencional só que substitui a oferta pelo lanche no final. O resto é tudo igual.

Não sei se dá vontade de rir ou chorar…

Graças a Deus pela sua misericórdia que nos suporta e nos ensina cada dia a nos parecer mais com seu filho Jesus, igreja nas casas, igreja tradicional, igreja orgânica, igreja emergente, igreja missional, igreja comunidade, sem nome, com nome, denominação, movimento, blá blá blá.

Tenho chegado à conclusão de que o que importa mesmo é o cumprimento da missão ser e fazer discípulos.

Cumprir o propósito eterno de Deus de sermos uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus para glória de Deus. Discipular e transformar as nações tocando e influenciando cada aspecto de nossa sociedade com o evangelho do Reino.

Porque dele, por meio dele, Para ele são todas as coisas.

Que possamos nos abrir para que o Espírito Santo e nossos irmãos cooperem para transformar nossa essência por que a forma, na boa, pouco importa. O que importa realmente é o conteúdo, acredito que o conteúdo molda nossa forma e não o contrário. Uma questão em relação à forma, acredito que ela precisa ser flexível bastante para não impedir o avanço do Reino.

Tire suas próprias conclusões.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Características da Movimentação Apostólica

movimento apostólico

Movimento Apostólico, conheça as características dessa movimentação.

Vamos prosseguir com o assunto tratado no artigo  que fala sobre a necessidade de uma movimentação apostólica neste tempo, veremos algumas características dessa movimentação.

Primeiro vamos definir o termo apóstolo, muitas vezes esse termo é definodo como enviado, porém ele é mais profundo do que simplesmente alguém enviado para uma missão. O termo APOSTOLO = ENVIADO COM UMA FUNÇÃO que pode ser comparado com mensageiro, delegado, enviados para expansão geopolítica nos tempos do império romano, reconhecimento de uma autoridade, procurador, aquele que substitue quem o envio. Os melhores termos para definir apostolo são procurador ou administrador.

Vamos agora as características:

– Reposicionar o povo de Deus essa foi a primeira missão apostólica (Mt 10:6  “Antes, dirijam-se às ovelhas perdidas de Israel.”) isso fala sobre restaurar a identidade da igreja.

– Proclamação do Evangelho do Reino.

Fazer Discípulos

– Fortalecer e encorajar os discípulos.

– Estabelecer governo nas comunidades formadas. (At 14.21-23)

– A essência do ministério apostólico é de ser um despenseiro = administrador dos mistérios de Deus (1Co4.1) e Ministro = Remador de baixa categoria ou oficial de justiça.

– Criar acesso , chamados para incluir, assim como Paulo fez. (Ef 2.19-22, Rm 5.2, Ef3,2) Gerar acesso para a missão que temos diante de nós.

– Característica de gerar = trazer outros ao modo de vida de Cristo.

– Homens que tem credenciais, sinais, prodígios e milagres os acompanham. (2Co12.2)

– Serviço de preparar pessoas e apresenta-las a Deus (Rm15.16)

– Destruir fortalezas, destruir raciocínios e levar cativos pensamentos a Deus (2Co10.4)

– Solucionar problemas que surgem na igreja (1Co1.10)

Atrair e distribuir recursos financeiros.

– Implementar esses recursos.

Importante ressaltar que o apostólico está diretamente relacionado a igreja (Mt16.19, Mt18.15-20) tem como missão gerar missão e trazer desenvolvimento, gerar expansão da igreja e na igreja que são duas coisas diferentes.

Apóstolos são pessoas com uma visão ampla, possuem um olho na igreja e outro onde a igreja não está, quando outros serviços se alinham com eles se tornam apostólicos. Sua função é assegurar que toda a igreja na cidade se torne apostólica.

Muitos apóstolos são pessoas empreendedoras que se envolvem em negócios, possuem envolvimento missional, são pessoas rompedoras de limites. Apóstolos abrem novos espaços, são formadores de rede e estão comprometidos com o aperfeiçoamento que fala de capacitação, fortalecimento, restituição, reparo, arranjo, ajuste, colocar em ordem. O Aperfeiçoamento tem haver com uma atividade e não simplesmente com o ensino.

Que possamos descobrir e reconhecer pessoas apostólicas e apóstolos e nos conectar com eles para que todo o corpo possam se movimentar da melhor forma possível.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Princípios a Serem Resgatados – Reino de Deus

Finalmente vou dar continuidade a uma série que iniciei em 2009 a partir do meu primeiro artigo escrito, o entendimento sobre o Reino de Deus é o segundo princípio que acredito que deve ser resgatado para nosso pleno caminhar diante de Deus. Se você me acompanha desde aquela época deve se lembrar, se não relembre a introdução e o primeiro princípio que acredito que devemos resgatar.

Reino de Deus

Uma das formas de entendermos o que é alguma coisa é primeiro descobrindo o que ela não é.

“Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.”(Almeida Corrigida Fiel)Rm 14.17

Descobrimos que o Reino não é carnal e sim espiritual, mas ainda não o que exatamente é o Reino.

O Irmão Jorge Himitian nos Fala que, o Reino de Deus é uma ação. O Reino de Deus é a ação de reinar de Deus e esta realidade não pode ser vista pelos olhos físicos por isso Jesus nos disse:

todo aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus(Jo 3.3)

Nós hoje reconhecemos Cristo como nosso Salvador, porém muitas vezes não o vemos como Senhor só que, se não entregarmos nossas vidas para que Cristo seja o Senhor não poderemos ter Ele como nosso Salvador.

Este princípio do reconhecimento do reinado de Cristo em nós é algo que tem de ser vivido e pregado, pois só assim, com Cristo reinando em nós, que conseguiremos iluminar a escuridão.Por muitos anos nos tem sido pregado um outro evangelho cheio de meias verdades, individualista, materialista que massageia o ego,que apresenta a Cristo como um produto bom para os negócios, devemos repudiar este falso evangelho e passar a viver as verdades do Reino de Deus.

“e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Aquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados, e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém.” Ap 1 5,6 (Grifos do autor)

O Senhor nos constituiu reino na qual ele é o Rei e deve reinar eternamente, nos fez também sacerdotes. Isso nos traz a responsabilidade de ministrarmos a ele não somos mais meros espectadores de uma pregação. Nós não nos reunimos para assistir ao culto. Temos um serviço diante do Rei, não temos mais desculpas para continuar vivendo em nossa zona de conforto ou no nosso reino próprio, pois o Reino de Deus é constituído por sacerdotes se não temos sido sacerdotes Cristo não tem reinado em nós.

Que possamos viver o Reino de Deus irmãos, sendo sempre submissos a Ele.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Apóstolos e Profetas

“…edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor.” Ef  2.20,21 (Grifo do autor).

Apostolos e Profetas na Igreja“Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dom de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas.” 1Co12.28 (Grifo do autor).

Pensando sobre esses textos e observando o quadro da Igreja atual, (não vou gastar perder meu tempo criticando não) tenho refletido sobre duas questões:

O que é ser o primeiro?

O que é lançar o fundamento?

Quando ouvimos que os Apóstolos e Profetas são os primeiros parece ser aqueles que detém todo o poder, aquele que manda, aquele que está no topo da pirâmide da hierarquia clerical. Interessante que os primeiros discípulos de Jesus já pensaram assim e o Mestre os exortou e explicou que não seria dessa forma entre nós (Lc 22.25-27). O maior é o que serve.

Engraçado olhar para esse texto e observar a postura dos chamados apóstolos do nosso tempo, mas esse não é nosso foco. O que desejo enfatizar é que existe uma lógica presa em nossas mentes que nos impedem de enxergar a forma do reino de Deus para isso nossa Cosmovisão precisa mudar.

Beleza, mas eai?

Quando Paulo, o apóstolo escreve o texto de 1Co12.28 e Ef 2.20,21 ele está descrevendo a mesma figura ele está falando da Igreja como uma casa, como um santuário composto de pedras vivas ele está usando a mesma figura de Mateus 16.18 aquela que Jesus usa para abençoar Pedro e a revelação que o Pai lhe deu sobre a Igreja.

Então o que é um fundamento ou a fundação de uma casa? Simples, aquilo que fica por baixo.

Agora parece que as palavras de Jesus e de Paulo começam a se encaixar.  Se os apóstolos e profetas são os que lançam os fundamentos e o fundamento é Cristo que está neles.  Eles não podem simplesmente lançar e sair como alguém que lança concreto no alicerce de uma casa. O exemplo destes homens é o próprio concreto que é lançado para que a igreja cresça sobre este exemplo de vida em Cristo assim como foi com Jesus.

A Igreja é o Corpo Vivo de Cristo na terra é a casa de Deus construída sobre Cristo através de homens e mulheres que vivem segundo o Espírito de Deus.

Por isso ser o primeiro parece ser o último, pois é o que fica por baixo sustentando o peso da construção, talvez agora você entenda por que Paulo fala “Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Temo-nos tornado um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens. “ 1Co 4.9

Que possamos nos deixar ser edificados sobre o fundamento, que é Cristo demostrado através do exemplo dos verdadeiros apóstolos e profetas  e assim possamos seguir em direção ao cumprimento do Propósito Eterno de Deus e na missão
de fazer discípulos segundo a imagem de Jesus.

No amor de Jesus

Pedro Quintanilha ><>

 

Desintoxicação Sexual – Conselhos aos Jovens Solteiros

Desintoxicação Sexual - Um guia para o jovem solteiro - Reino e SacerdoteAcredito que ajudará aos Jovens solteiros encontrarem forças e um caminho e liberdade. Meu desejo é que encontrem o escape oferecido pelo Espírito Santo e que se desenvolvam em santidade. Não parem de lutar! Existe esperança! É possível! Creia no amor de Jesus, busque o Senhor. Pedro Quintanilha ><>.

Segue Introdução do livreto:

Não é fácil ser um jovem rapaz hoje em dia. Talvez nunca tenha sido fácil, mas atualmente os
desafios que os jovens que querem se manter santos enfrentam parecem ser mais difíceis do que nunca. Você vive em um tempo em que a cultura parece estar toda entregue ao sexo. Ele está sempre ao seu redor e você mal consegue evitar sua sedução.

Aonde quer que você vá, você é encarado pelas tentações e, se você for igual à maioria dos
garotos, já começou a ceder a elas. Talvez você tenha acabado de começar a olhar pornografia, talvez você já esteja nisso há vários anos. Talvez você esteja lutando contra a masturbação, desejando não se dar este prazer, mas talvez tenha descoberto que é muito mais difícil parar do que você um dia imaginou. Talvez você tenha descoberto que, mais do que nunca, o sexo está enchendo a sua mente e impactando o seu coração.

Esse livreto é especialmente designado para homens jovens – aqueles que ainda não são
casados, mas que esperam casar-se no futuro. Talvez você não esteja namorando ou talvez você já tenha encontrado a mulher dos seus sonhos e já esteja perto de casar-se e construir uma vida juntos. Talvez a mulher dos seus sonhos pareça estar ainda muito longe. Não importa sua situação, eu quero usar este pequeno guia para ajudá-lo a descobrir o plano de Deus para o sexo e para a sexualidade.

Eu quero ajudá-lo a encontrar as mentiras em que você acreditou sobre o sexo e quero ajudá-lo a substituí-las pela verdade, que vem diretamente de Deus, que criou o sexo para nós.

TIM CHALLIES

Amar ou Não Amar o Mundo?

João fala para não amarmos o mundo nem aquilo que há no mundo pois quem ama o mundo não tem o amor do Pai, amigos do mundo são inimigos de Deus. O mesmo João fala sobre Deus que amou o mundo de tal maneira que deu seu filho (Jesus) para que todos os que cressem (mais do que acreditar, fala de obedecer) nesse filho não vão perecer, mas terão a vida eterna.

Parece que existe uma incoerência, pois em um texto ele fala para não amar o mundo e no outro fala que ele próprio amou o mundo, mas não existe. A diferença está em como esse amor se manifesta. Quando amamos o mundo querendo tirar dele aquilo que nos satisfaz isso é ruim ou seja vai contra Deus, mas quando amamos o mundo no sentido de dar a ele o que ele precisa que é mostrar quem é Deus, quem é Jesus e que seus princípios funcionam em tudo aí sim é legal.

O que quero dizer com isso é que nós não precisamos nos sentir acuados pelo mundo e por seu sistema, temos que lutar contra ele e nos defender dele sim, mas muito mais do que isso precisamos avançar em fé e nos posicionar nas verdades de Deus. A bola está com a Igreja e não com o diabo. Nós precisamos avançar e mostrar para as pessoas do mundo que eles podem viver uma vida baseada na verdade, que conselhos são bons, submissão é uma benção (não precisamos andar sozinhos), que podemos desenvolver amizades verdadeiras, viver livre do peso de ter que provar algo para sermos aceitos, que nossas profissões podem ajudar muitos, podemos viver livres do orgulho e de sofismas por causa da palavra e Deus.

Deus quer mostrar seu amor ao mundo e nos comissionou a discipular nações não vamos conseguir isso sem entender que somos filhos de Deus (identidade). Somos parte de um propósito eterno de restauração de toda a terra (finalidade) . Nossa esperança está fundamentada na promessa de que Jesus irá voltar para restaurar plenamente tudo, mas essa obra já começou em nós e na vinda do Reino que está hoje dentro de nós.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Seria Jesus Um X-Men?

No mês de maio deste ano, certo pastor afirmou através do Twitterque a razão pela qual Jesus não casou seria o fato de que desse casamento poderia nascer uma raça superior, posto que Jesus não teria apenas genes humanos, mas também divinos.

Ora, foi impossível ler essa declaração e não pensar nos X-Men, personagens de histórias em quadrinhos que são mutantes: humanos que, como resultado de mutações genéticas , desenvolveram habilidades sobre-humanas. Se a natureza humana de Jesus era geneticamente diferente da nossa, então seria Ele um X-Men?

Deixando de lado as especulações do pastor aqui citado, é importante que voltemos nossa atenção para o que as Escrituras afirmam sobre a natureza humana de Cristo. É célebre a declaração de João acerca de Jesus: “e o Verbo se fez carne” (Jo. 1:14). Mas, o que isso significa? Paulo responde essa pergunta dizendo que Jesus “esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens” (Fp.2:7). E o autor da  carta aos Hebreus nos diz que “visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, … era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos” (Hb. 2:14-17).

Jesus, sendo Deus, se fez homem, com todas as necessidades e limitações inerentes à raça humana. Passou por limitações físicas, como a sede (Jo. 19:8), a fome (Mt 4:2; Mc 11:12), o cansaço (Jo. 4:6), o sofrimento e a dor (Jo 18:22; 19: 2,3). Ao se fazer homem, deve que aprender como qualquer um de nós. Ele foi crescendo em sabedoria (Lc 2.52) e aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu (Hb 5.8). Enfim, Jesus se fez plenamente homem. Aliás, o mais humano dos homens.

Mas, qual era então a fonte do seu poder. Seria a presença de gene divino? Não, certamente não.  Sobre a fonte do poder de Jesus, Pedro nos diz: “Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder, e como ele andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os oprimidos pelo diabo, porque Deus estava com ele” (At. 10:38).

A fonte de poder de Jesus está também conosco. Temos o Espírito Santo! A presença de Deus é tudo o que precisamos para viver.

Ter a compreensão correta sobre a humanidade de Jesus é imprescindível para que tenhamos nEle o exemplo e a inspiração para nos humilharmos, nos esvaziarmos de nós mesmos, vivendo sempre na total dependência do Espírito Santo. Afinal, como Paulo nos diz: “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus” (Fp. 2:5).

Fonte: pensandoavida.com blog do Anderson Paz.

Princípios a Serem Resgatados (Introdução)

principios20globo

Esta série de pequenos estudos que estarei postando aqui é algo que o Senhor tem colocado em meu coração desde o ano passado para que pudesse compartilhar com os irmãos. Alguns talvez já leram algumas das coisas que estão escritas aqui porem sinto uma carga de Deus de trazer estes ensinos de uma forma mais equilibrada, mais madura, algo mais substancial e prático então vamos lá RESTAURADORES e TRANSFORMADORES.

Podemos perceber nos dias em que estamos vivendo o materialismo desenfreado tem tomado conta da igreja, o conceito hedonista e relativista do mundo tem se mesclado ao evangelho. Vemos que os sermões enfatizam vitórias financeiras, realização de sonhos pessoais, bênçãos, bênçãos e mais bênçãos, o “TER” tem imperado sobre o “SER”.

Temos buscado posição e reconhecimento humano, títulos têm vindo à frente de nossos nomes e as posições eclesiásticas, baseada em uma hierarquia piramidal morta, são colocadas na frente do caráter e da vida real da Igreja.

Os padrões bíblicos estão perdidos no meio do povo que vive uma contradição. Pregamos o amor e não amamos, pregamos a fé e não cremos, pregamos a morte do eu, mas temos vivido segundo nossos padrões.

 

“Pois, como já lhes disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o seu deus é o seu ventre* e eles têm orgulho do que é vergonhoso; só pensam nas coisas terrenas.” (NVI)ventre(RA) Fp 3.18,19

 

Nosso Senhor Jesus o Cristo quando estava em carne entre nós, manifestou o Reino de Deus e apregoou as boas novas do evangelho do Reino, deu para sua Igreja através do direcionamento do Espírito Santo a incumbência de cumprir com o propósito eterno de nosso Deus e Pai.

Com o passar do tempo nós, a Igreja, deixamos com que coisas fundamentais a nossa vida de Igreja viessem a se perder ao longo da história, mas Deus sempre trás suas verdades de volta. Desejo que estes princípios sejam resgatados para que possamos praticá-los em nossas vidas.

Pedro Quintanilha ><>