Espirito Santo uma pomba?

Espirito Santo uma pomba?

Como muitos que acompanham o nosso blog, fui criado em um lar cristão e sempre ouvi de amigos de minha Família e até de irmãos mais maduros na fé que o Espirito Santo era como uma pomba. Claro que estavam fazendo referência a passagem dos evangelhos que fala do batismo do nosso mestre Jesus, onde é citado que o Espírito Santo descera sobre ele como uma pomba.

“Nessa ocasião Jesus veio de Nazaré, uma pequena cidade da região da Galileia, e foi batizado por João Batista no rio Jordão. No momento em que estava saindo da água, Jesus viu o céu se abrir e o Espírito de Deus descer como uma pomba sobre ele.” (Marcos 1:9, 10 NTLH)

Não tenho dúvidas de que é verdade que o Espirito Santo desceu sobre Jesus como uma pomba, pois creio nas Escrituras. Só que existe algo que me incomoda quando ouço alguns amados irmãos tratarem o Espírito Santo como pomba e não como uma pessoa.

Acredito que a forma com que enxergamos Deus determinará muitas coisas em nossa vida e isso inclui nosso caráter e em ultima instância nosso destino.

A final que diferença faz de ver o Espirito Santo como uma pomba ou como uma pessoa?

Quando o vemos como uma pomba somos levados a acreditar que ele é frágil, pequeno e que voa a qualquer sinal de perigo. Acredito que você já tenha ouvido algo assim: “O Espírito Santo é como uma pomba por isso cuidado, pois se você pecar ele se afastará de você.”

Isso é muito comum, porém é algo que vai totalmente contra as verdades de Deus. Afinal quem nos convence do pecado, da justiça e do juízo é o próprio Espírito Santo. Ele nunca se afasta de nós podemos entristecê-lo ou apagá-lo, mas ele nunca fugirá de seus filhos.

O fato de enxergar o Espirito Santo de Deus como uma pomba ao meu ver causa uma certa complicação para compreendermos a realidade espiritual que convive com a realidade física.

Meu desejo é que possamos nos relacionar pessoalmente com o Espírito Santo e desfrutar de um relacionamento vivo e real com ele e a Igreja de Jesus.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

 

Anúncios

Somos O Resultado Daquilo Com Que Nos Enchemos

Cultuar a Deus é muito mais do que ir a um lugar onde muitas pessoas estão juntas em um dia da semana por um período de tempo. Acredito que o culto nunca acaba. O culto começa quando nos identificamos com o sacrifício de Jesus e vai continuar eternamente. Porém os nossos afazeres cotidianos acabam embaçando esse entendimento.

Claro que as reuniões dá igreja iniciam e terminam.  O que me motivou a escrever esse texto foi justamente o fato de durante duas semanas, em nossa comunidade que faz parte da Igreja em Cabo Frio, estamos tratando sobre o assunto da nossa postura para com a Reunião Geral da igreja e a nossa preparação para as reuniões da igreja.

Ontem fui convidado a levar alguns cânticos para uma de nossas reuniões nas casas, saí um pouco mais cedo do escritório onde trabalho e fui para casa orar. Fui buscar a Deus e adorar um pouco sozinho antes de estar com meus irmãos. Durante o período de oração lembrei do texto de Apocalipse capitulo 4 quando João em uma visão encontra-se no Céu, tem a visão do trono de Deus e vê os 24 anciãos se prostrando diante do Pai e colocando suas coroas diante dEle e também vê os 4 seres viventes entoando louvores a Deus.

Depois dessas coisas olhei, e diante de mim estava uma porta aberta no céu. A voz que eu tinha ouvido no princípio, falando comigo como trombeta, disse: “Suba para cá, e lhe mostrarei o que deve acontecer depois dessas coisas”. Imediatamente me vi tomado pelo Espírito, e diante de mim estava um trono no céu e nele estava assentado alguém. Aquele que estava assentado era de aspecto semelhante a jaspe e sardônio. Um arco-íris, parecendo uma esmeralda, circundava o trono, ao redor do qual estavam outros vinte e quatro tronos, e assentados neles havia vinte e quatro anciãos. Eles estavam vestidos de branco e tinham na cabeça coroas de ouro. Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante dele estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são os sete espíritos de Deus. Também diante do trono havia algo parecido com um mar de vidro, claro como cristal. No centro, ao redor do trono, havia quatro seres viventes cobertos de olhos, tanto na frente como atrás. O primeiro ser parecia um leão, o segundo parecia um boi, o terceiro tinha rosto como de homem, o quarto parecia uma águia quando em vôo. Cada um deles tinha seis asas e era cheio de olhos, tanto ao redor como por baixo das asas. Dia e noite repetem sem cessar: “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus todo-poderoso, que era, que é e que há de vir”.  Toda vez que os seres viventes dão glória, honra e graças àquele que está assentado no trono e que vive para todo o sempre, os vinte e quatro anciãos se prostram diante daquele que está assentado no trono e adoram aquele que vive para todo o sempre. Eles lançam as suas coroas diante do trono, dizem: “Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas”. Apocalipse 4

Logo depois de ler esse texto, fui muito tocado por Deus, comecei a louvar, adorar e então tive a convicção de que o Espírito Santo estava falando algo sobre entrega, sobre dar a ele. Muitos irmãos tem falado isso, mas não me importo em repetir; cultuar, adorar, louvar estão intimamente relacionados a entrega.

Temos de dar algo, mas nós só podemos dar aquilo que temos. Como  Pedro e João quando estavam a porta do templo e um coxo lhe pediu esmola. Pedro disse que não tinha ouro ou prata mas o que tinha deu a ele, que era a cura.

Isso também me leva a pensar sobre uma parte da primeira carta de Paulo, apóstolo a igreja em corinto quando no capitulo 14 verso 26 ele fala como os irmãos deveriam se comportar quando se reunissem.

“Portanto, que diremos, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em língua ou uma interpretação. Tudo seja feito para a edificação da igreja. “ 1Co 14,26

Tudo o que ele fala e segue falando nos outros versículos está relacionado a dar com intuito de edificar a igreja ( construir uns aos outros).

Porém como já disse só podemos dar aquilo que temos, nós somos o resultado daquilo com o que nos enchemos. Se vemos um filme muito legal assim que ele acaba a primeira coisa que falaremos é sobre o filme, se vemos muita novela falamos de novela, se nos enchemos de piada vivemos e falamos de piadas, futebol a mesma coisa, não estou falando que essas coisas são erradas mas o fato é que se só nos enchermos dessas coisas é somente isso que nós teremos para dar tanto a Deus como aos nossos irmãos.

Que possamos nos encher do Espírito Santo, nos encher da bíblia, que possamos ter mais momentos a sós com Deus, que possamos entoar louvores a ele e nos encher daquilo que realmente fará diferença em nossas vidas.

Desejo ver em Cabo Frio uma igreja vibrante que ama Jesus, sua palavra, que anda no sobrenatural e vive um estilo de vida de jejum e oração. Um estilo de vida como o de Jesus.

Esse texto te edificou? Comente.

Quais atitudes podemos tomar para experimentar mais de Deus?

Do que você tem se enchido?

Compartilhe, vamos conversar.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>


Manifestação do Amor de Deus (Liberdade e Limites)

Depois de alguns dias de conversa com meus amigos Mateus e Thaís que voltaram do primeiro ano da BSSM (Bethel School Of Supernatural Ministry) eu tenho pensado muito a respeito do amor da graça e da liberdade que Deus (Pai) nos proporciona em Cristo Jesus. Por isso escrevo esse post falando sobre a manifestação do amor de Deus. Fato que Deus é amor, isso nós estamos cansados de ouvir e aquele papo de que existem 3 expressões do amor na língua grega o amor fraternal (fileo), o amor entre um homem e uma mulher (eros) e o amor conhecido como amor de Deus (ágape) que tem como diferença básica dos outros que este ama independente do objeto amado.  Como aquele versículo que diz “Deus amou tanto o mundo que deu seu filho para que todos que nele creem não pereçam, mas tenham a vida eterna.”(jo3.16)

Não é sobre isso que quero falar, não quero conceituar o amor nem nada dessas coisas. Vou falar um pouco sobre a manifestação desse amor, sabemos que Deus manifestou seu amor ao mundo através da entrega de Cristo e tudo isso como já disse em cima, mas antes de entregar Cristo ou melhor antes da queda do homem, Deus já manifestava seu amor a Adão. O amor não tinha ainda sudo manifesto pela redenção pois afinal de contas Adão ainda não tinha necessidade de ser redimido.

Então como Deus manifestou seu amor ao homem durante o período antes da queda?

Ele manifestou através da liberdade e dos limites. Adão antes de comer da árvore do conhecimento do bem e do mal não tinha consciência do santo e do profano na verdade não existia o pensamento de santo e profano antes da queda.

Deus estabeleceu o homem no jardim deu-lhe um trabalho, uma companheira e Se relacionava dia-dia plenamente com ele. Deu-lhe liberdade de usufruir de tudo e colocou um limite que era não comer de uma das árvores. Essa liberdade é tão verdadeira que Deus não impediu o homem de comer quando ele tomou a decisão de comer.

Deus mudou?

Não, o homem caiu e Deus através da morte e ressureição de Jesus nos recolocou novamente posição de Adão e na minha opinião ainda maior pois nos fez coerdeiro com Cristo de toda herança que ele tem no Pai (depois leia a carta de Paulo aos efésios que você poderá entender melhor isso). Isso quer dizer que a mesma liberdade que um dia o homem teve nós temos também e isso se manifesta através da graça. Tá se você não acha isso genial, eu acho!

Podemos desfrutar completamente do amor e da liberdade de Deus hoje estamos livres de todo peso que inclui o pecado, do pode não pode, do tenho que fazer isso ou aquilo do manual de regras morto. Podemos desfrutar de um Deus vivo, que fala através do seu livro, habita em nós e na Igreja (seu corpo vivo na terra) que abre os nossos olhos e nos mostra os limites pelo Espírito.

Você pode hoje viver o Reino e desfrutar da justiça, paz e alegria.

Você pode ser livre.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>