Por Que o Cachorro Enterra o Osso?

Cachorro enterrando osso

Há algum tempo atrás estava conversando com a veterinária do meu cachorrinho e ela me fez essa pergunta por que o cachorro enterra o osso? Eu não sabia, então ela me respondeu, ele o enterra para guardar, por que ele não sabe quando terá outro novamente.

Isso me faz pensar sobre como administramos nossas finanças pessoais. Você pode até dizer. Poxa Pedro agora você foi longe heim…

É isso mesmo, se até o cachorro instintivamente guarda o seu osso por conta do seu instinto natural por que nós seres inteligentes não desenvolvemos uma mentalidade de poupança, ou seja de poupar parte dos nossos recursos para tempos difíceis ou oportunidades da vida.

Você pode até tentar justificar a falta dessa mentalidade com textos bíblicos como “não acumuleis tesouro…” “não andeis ansiosos com o que haveis de comer ou de vestir…” “…basta a cada dia seu próprio mal” Mt 6. 19-34

Jesus nos aconselhou em Lucas: “Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?” Lc 14.28 Esse texto ressalta a importância do planejamento.

O Pai deu a Adão a missão de administrar a Terra, sujeitar e multiplicar. Gn3.36

Desenvolvendo uma mentalidade de poupança

O que quero dizer é que devemos aprender a administrar de forma justa e sensata os recursos que Deus nos proporciona e uma das formas de administrarmos bem esses recursos é guardando uma parte para tempos difíceis ou oportunidades.

Veja um exemplo prático:

Nas Escrituras quando o princípio de guardar parte de sua renda foi aplicado por José no Egito e a partir dessa aplicação o Egito se tornou a maior potência mundial daquela época. Veja Genesis capítulo 37,39-45 toda a história de José.

“Procure agora o faraó um homem criterioso e sábio e coloque-o no comando da terra do Egito. O faraó também deve estabelecer supervisores para recolher um quinto da colheita do Egito durante os sete anos de fartura. Eles deverão recolher o que puderem nos anos bons que virão e fazer estoques de trigo que, sob o controle do faraó, serão armazenados nas cidades.  Esse estoque servirá de reserva para os sete anos de fome que virão sobre o Egito, para que a terra não seja arrasada pela fome. ” O plano pareceu bom ao faraó e a todos os seus conselheiros. Gn 41.33-37

Podemos chamar esse princípio do princípio da quinta parte, ou seja de toda sua renda guardar 20% para tempos difíceis.

Fica aqui meu conselho para vocês queridos leitores, este é um princípio que tenho buscado praticar e tenho visto muitos resultados em minha própria vida.

Que possamos seguir os exemplos dos cachorros e mais ainda o exemplo de José. Desejo que vocês aprendam a administrar bem os recursos que Deus tem lhe confiado, assim como eu tenho buscado fazer.

Se quiser seguir pensando sobre questões relacionadas a empreendedorismo escrevo  sobre isso em outro lugar

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Anúncios

A Fragilidade Dos Relacionamentos no Mundo Digital

Mundo Digital Reino e SacerdoteVivemos em um mundo globalizado e conectado. Conversamos sem conversar. Encontramos sem encontrar. Falamos sem tocar. Nossas amizades estão se tornando cada vez mais digitais e intangíveis. Temos perdido o passar tempo junto. Perdemos o antigo costume de nos sentar juntos aos fins de semana para simplesmente curtir o por do sol ou desfrutar de um tempo gostoso de conversas e alegria em baixo da sombra de uma árvore.

É engraçado eu estar refletindo sobre isso, pois como muitos que me conhecem já sabem que eu tanto trabalho como me divirto através da internet. Utilizo esse ambiente como um meio de cumprir o que acredito que fui chamado para fazer. Na verdade muito do que tenho tentado construir e desenvolver tem a base no marketing digital, na cultura digital, no próprio ambiente da internet, porém estou sendo levado a refletir sobre algo que infelizmente a internet ainda não pode substituir, e acredito que nunca irá substituir que é o um abraço apertado em um amigo querido, ou um tempo sentado em frente ao mar, um mergulho em um rio ou em uma cachoeira.  Desligar, desconectar são palavras que muitas vezes não fazem parte do meu vocabulário.

Percebo também que as amizades digitais são tratadas com uma fragilidade e volatilidade muito grande. Com um clique nós bloqueamos um “amigo”, excluímos do nosso perfil no Facebook, aparecemos off-line no Skype ou simplesmente não respondemos.

Não somos obrigados a interagir com quem não queremos por isso começamos a construir ao redor de nós uma fortaleza. Onde só me relaciono com quem gosta das mesmas coisas que eu isso acaba nos emburrecendo, pois afinal de contas é na diversidade que encontramos a criatividade é com a diversidade que podemos refletir, enxergar por outros ângulos.

Mundo digital as redes sociais Acho muito boa a oportunidade que a internet nos dá de encontrar e aproximar pessoas com os mesmos gostos que os nossos e nos relacionar com elas. O que critico é o fato de criarmos ao redor de nós essa casca que impede o relacionamento com aqueles que são diferentes e fato de tratarmos essas amizades, ou melhor, contatos de forma tão superficial.

Veja uma prova dessa fragilidade dos relacionamentos da internet nesse case de marketing digital.

Minha recomendação é que possamos desfrutar do ambiente da internet com o que ele tem de melhor a nos oferecer. Espero que não fiquemos fechados ou presos pelos nossos conceitos, mas possamos entender e refletir com base em uma cosmovisão bíblica. Devemos estar abertos a refletir sobre os diversos pontos de vista e construir amizades verdadeira que se estendam além do ambiente digital.

Importante lembrar que existem valores e princípios que são absolutos e estes são a base onde todo o pensamento e diversidade de pontos de vista precisam ser tratados e julgados.

Que possamos desfrutar mais da natureza e da vida, mesmo sem desconectar.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

O Músico Cristão e a Aparência do Mal

Amigos tenho uma novidade para vocês: Agora meu amigo Victor Machado ou Vitim Machadim pros mais chegados, estará publicando suas reflexões, opiniões, fé e vida aqui no Reino e Sacerdote. Sempre falando de assuntos atuais e algumas controversas e talvez polêmicas. Espero que gostem e comentem os textos dele também. Como tenho dito nosso objetivo é gerar conversa e trazer crescimento deixe sua opinião registrada e vamos seguir crescendo juntos. No amor de Jesus Pedro Quintanilha ><>.

Musico Cristão e a Aparência do Mal. Musica Cristã

Esse cara é bom, vem da igreja – é uma expressão comum, usada por músicos como Simoninha, na hora de avaliar alguns dos profissionais que trabalham com eles – no caso da banda do carioca, quatro dos sete músicos se encaixam na descrição.” (Fonte: http://glo.bo/z01ogk)

Hoje em dia é bastante comum vermos músicos formados pelas igrejas, envolvidos e tocando na noite, em bandas seculares. Quando eu digo formado, é pelo fato da música ser uma ferramenta fundamental na expressão religiosa do Cristão, e por essa razão as igrejas tem se tornado um Seleiro de Músicos Profissionais.

Essa questão da escolha de um músico criado na igreja, que sempre utilizou a tua arte, para a adoração a Deus, optar em uma carreira secular para desenvolver o seu talento e iniciar uma carreira artista profissional, sempre foi uma questão que gera polêmicas e controvérsias.

Há quem defenda a ideia, de que um músico cristão deve evitar a profissionalização secular. Pois o ambiente de trabalho que esse músico irá viver no seu dia-a-dia, será envolto de inúmeras oportunidades para que ele venha a se afastar de Deus. Defendem o fato de que isso tornará mais complexa e frágil à relação do Profissional com Deus.

Porém, a teoria que mais se ouve, e que é mais defendida. E a ideia de que a música é uma ferramenta, um dom, dado por Deus, que só pode ser utilizado para a adoração e Louvor a Deus. Defendem a ideia de que a música secular é profana, e que o músico cristão, ao optar em se profissionalizar Secularmente, está automaticamente se profanando e se afastando de Deus. Por esta razão, na maioria dos casos em que um músico, se profissionaliza no meio artístico secular, ele é automaticamente afastado da comunhão, sendo proibido de tocar nas reuniões religiosas.

Se pensarmos em relação às músicas seculares, que a maioria delas passam mensagens profanas, então começamos a entender o porquê dessas teorias. Mas não podemos generalizar, já que ao generalizarmos estamos mais propícios ao erro. Não que generalização seja algo inútil, mas sempre que generalizamos, nos aproximamos mais a falhas. Então, a maioria das músicas seculares, são consideradas profanas, mas e a minoria? Será que a música cristã, não tem uma porcentagem de profanação? Então, não vamos nos aprofundar neste ponto em relação ao que é Profano e Santo. Prefiro prosseguir no tema. Pois isso é um ponto em que se dá o que falar. Seguindo…

Em 1 Tessalonicenses 5:22 diz: “Afastem-se de toda forma de mal.” Certamente, quando Paulo falou “Afaste-se” não devemos levar para o sentido de “espaço”. O distanciamento que Paulo pede que tenhamos do Mal, não é temporal, é relacionado a “Atitudes”. Na Versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel da Bíblia diz: “Abstende-vos de toda a aparência do mal.”

Sabemos que as aparências enganam, e que temos uma consciência enganosa, do que vemos, ouvimos e sentimos. E é por essa razão que as nossas atitudes fazem uma grande diferença e podem corrigir qualquer má-aparência interpretada pelos sentidos.

Inconscientemente julgamos e somos julgados, pela aparência. Mas é a “Atitude” que mostra quem realmente somos. Independente de qual profissão escolhemos seguir, estaremos sempre cercado de alguma forma pelo o mal. É exatamente ai, que devemos fazer a diferença.  Como os nossos músicos estão fazendo pelo Brasil a fora. Muitos se deixam corromper pelo mal. Mas existe uma parcela que não se corrompe e faz a diferença. Faça parte desse grupo, seja na Escola, na Faculdade, no Trabalho ou em Casa.

Não conseguiremos fugir do mal se afastando dos ambientes ou pessoas, que interpretamos como sendo “formas de mal”. Precisamos enxergar que a maior forma de mal que pode nos afastar de Deus, somos nós mesmos. É o nosso pensar e agir que devemos transformar dia à após dia. Reformar a nossa mente, segundo a mentalidade de Cristo, e manter uma atitude coerente que sirva de exemplo para todos que estão a nossa volta. Essa é a melhor forma de se afastar do mal.

Entendam, não tenho o intuito e nem a pretensão de achar que essa postagem, pode vir a resolver e eliminar essas controvérsias quanto ao assunto. A Finalidade desta postagem é esclarecer o posicionamento que entendo como sendo a mais correto e sensato, para que através desse posicionamento outros, possam também ser esclarecidos e posicionados de acordo com aquilo que nos foi passado pela Palavra de Deus. Diante disso, ore a Deus, busque um relacionamento com Ele. A Graça nos permite isso. Então Busque! E mesmo que tenhamos uma consciência diferente acerca do tema. Em Amor podemos nos respeitar e manter uma comunhão perfeita em Deus. Por que o que temos em comum não são nossos pensamentos, mas sim o Amor e Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, e Nele devemos permanecer.

Graça e Paz

Victor Machado