Ampliando o Entendimento sobre Reino de Deus

Pegando carona no último posto sobre Reino de Deus acredito ser oportuno compartilhar com vocês esses slides que foram passados na ECAP em Cabo Frio ministrada pela equipe do Rugido do Leão. 

“O Reino de Deus não é um lugar, umterritório. Não é o céu. Não é a Igreja. Não éuma coisa, um objeto, um estado. O Reino deDeus é uma ação. Essa ação é um ato, é arealidade mais absoluta do universo. O Reino de Deus é o reinar de Deus”  Fábio Souza

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Anúncios

Princípios a Serem Resgatados – Reino de Deus

Finalmente vou dar continuidade a uma série que iniciei em 2009 a partir do meu primeiro artigo escrito, o entendimento sobre o Reino de Deus é o segundo princípio que acredito que deve ser resgatado para nosso pleno caminhar diante de Deus. Se você me acompanha desde aquela época deve se lembrar, se não relembre a introdução e o primeiro princípio que acredito que devemos resgatar.

Reino de Deus

Uma das formas de entendermos o que é alguma coisa é primeiro descobrindo o que ela não é.

“Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.”(Almeida Corrigida Fiel)Rm 14.17

Descobrimos que o Reino não é carnal e sim espiritual, mas ainda não o que exatamente é o Reino.

O Irmão Jorge Himitian nos Fala que, o Reino de Deus é uma ação. O Reino de Deus é a ação de reinar de Deus e esta realidade não pode ser vista pelos olhos físicos por isso Jesus nos disse:

todo aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus(Jo 3.3)

Nós hoje reconhecemos Cristo como nosso Salvador, porém muitas vezes não o vemos como Senhor só que, se não entregarmos nossas vidas para que Cristo seja o Senhor não poderemos ter Ele como nosso Salvador.

Este princípio do reconhecimento do reinado de Cristo em nós é algo que tem de ser vivido e pregado, pois só assim, com Cristo reinando em nós, que conseguiremos iluminar a escuridão.Por muitos anos nos tem sido pregado um outro evangelho cheio de meias verdades, individualista, materialista que massageia o ego,que apresenta a Cristo como um produto bom para os negócios, devemos repudiar este falso evangelho e passar a viver as verdades do Reino de Deus.

“e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Aquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados, e nos fez reino, sacerdotes para Deus, seu Pai, a ele seja glória e domínio pelos séculos dos séculos. Amém.” Ap 1 5,6 (Grifos do autor)

O Senhor nos constituiu reino na qual ele é o Rei e deve reinar eternamente, nos fez também sacerdotes. Isso nos traz a responsabilidade de ministrarmos a ele não somos mais meros espectadores de uma pregação. Nós não nos reunimos para assistir ao culto. Temos um serviço diante do Rei, não temos mais desculpas para continuar vivendo em nossa zona de conforto ou no nosso reino próprio, pois o Reino de Deus é constituído por sacerdotes se não temos sido sacerdotes Cristo não tem reinado em nós.

Que possamos viver o Reino de Deus irmãos, sendo sempre submissos a Ele.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Unidade: Pilar do Avivamento

unidade, pilar do avivamento. “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e que como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também  sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós somos; eu neles, e tu em mim a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.”(Jo 17; 20-23)

Não existe nenhuma oração que o Filho tenha feito que o Pai não respondesse. Isso nos dá esperança de alcançar a tão sonhada unidade. Sonhada por muitos, esperada por alguns, buscada por poucos.

Uma das funções deste organismo corporativo chamado igreja é demonstrar o amor de Deus na terra. Uma das condições que vemos nas escrituras, mais especificamente nesse texto acima é que a unidade é um fator decisivo para que o mundo creia que o Pai enviou Jesus. Nessa oração Jesus orou por mim e por você, isso mesmo você que está lendo esse texto, Jesus orou ao Pai por nós e nessa oração ele clama por unidade, mas o que é de fato unidade?

Para entender o que alguma coisa é às vezes é mais fácil vermos primeiro o que não é.

Muitas pessoas juntas em um lugar não configura unidade. Pessoas falando da mesma forma e agindo da mesma forma também não configura unidade ou seja Podemos estar juntos e não sermos um, podemos até falar que somos um e não ser.

Unidade fala muito do nosso coração e a partir desse coração somos atraídos e aproximados naturalmente.

Deus não vê como o homem vê, ele consegue enxergar nossas particularidades e individualidades mais do que qualquer um, porém quando Deus o Pai olha para uma cidade ele vê uma igreja. As divisões e barreiras denominacionais encontram-se em nossos corações. Deus deseja que caminhemos como igreja, unida a ele no espírito e na prática que caminhemos juntos em prol de uma revolução de amor em nossas cidades.

A igreja não está restrita a quatro paredes de um lugar de reunião, mas assim como diz as escrituras ela avança e as portas do inferno não podem prevalecer contra a igreja (Mt16.18). Porta fala de defesa, ou seja, a igreja avança caminha pela cidade espalhando o amor de Cristo e sendo um instrumento para redimir, resgatar pessoas da condição de morto para vida.

Isso nos leva a refletir: Será que estamos vivendo de acordo com a oração de Jesus?  Será que nós não podemos ser a resposta a essa oração?

A unidade é um pilar é uma coluna que sustenta o avivamento. Muito se fala de avivamento, porém muito do que vemos é barulho e propaganda com pouca ou quase nenhuma transformação efetiva.

Quando penso avivamento penso em pessoas juntas por um propósito gerando uma influência efetiva nas condições sociais e morais da sociedade. Assim como Samuel meu pastor sempre fala “Não existe avivamento sem arrependimento” e o arrependimento (mudança de mente que se reflete em uma mudança de atitude) é o fator chave tanto para unidade quanto para vivermos um verdadeiro avivamento. Podemos observar isso inclusive naqueles vídeos da série Transformações do George Otis Jr. Alguns exemplos como o que aconteceu na Colômbia no Quênia na Califórnia.

A partir disso passamos para uma parte mais prática. Como podemos então viver um verdadeiro avivamento e caminharmos em unidade como de fato uma igreja na cidade?

1-    Através de mobilizações de oração e adoração onde poderemos nos congregar como igreja na cidade e buscar ouvir Deus como corpo.

2-    Apoiando iniciativas do conselho de pastores da nossa cidade.

3-    Pastores e representantes da igreja sentarem juntos para discutir ações que dizem respeito às necessidades da cidade e assim verificar quais áreas necessitam de assistência social.

4-    Sermos comprometidos individualmente com a prática da leitura da bíblia, orações e obras de justiça social, atitudes de solidariedade.

5-    Proclamar o amor de Deus e o arrependimento com nosso exemplo de vida e não simplesmente com um discurso bonito

6-    Entender que não é por nossa força que vamos alcançar a unidade e o avivamento mas que esse é um desejo de Deus e nós precisamos simplesmente estar na posição correta.

Espero que esses pontos sirvam para nortear nossa busca pela unidade e avivamento e que não percamos a esperança de que Deus é o mais interessado em nos transformar do que nós mesmos. É desejo de ele ver homens e mulheres rendidos aos seus pés e acolhidos pelo seu amor. Deus deseja o melhor para todos nós e sem dúvida o melhor e viver uma vida eterna em Cristo essa é nossa esperança.

“Se nossa esperança se limita a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.” 1 Co15.19 “…Cristo em vocês a esperança da Glória.”  Cl 1.27

Se gostou compartilhe. Comente sua opinião é importante. Vamos conversar..

 No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Informativo para 2012 – Por Martin Scott

Anotações no início de janeiro de 2012

Deus fala

Graças a Deus porque Ele fala e não nos deixa na escuridão. Graças a Deus porque Ele não nos revela tudo. A fé exige confiança, assim como uma ação que resgata do invisível as realidades que são tão necessárias a este mundo. Graças a Deus porque o que Ele fala não é dito só para uma pessoa. Há riqueza na diversidade.

No início de um ano – incluindo o nosso calendário e o judaico, há uma expectativa de que Deus vai falar. Talvez a infinitude seja um conceito muito mais grego que judeu e apesar de sabermos que Deus não se relaciona com o tempo da mesma maneira que nós, Ele se relaciona conosco nos nossos períodos de tempo.

Eu tenho aguardado nos últimos dias por uma indicação dos céus de que há algumas perspectivas a serem liberadas e todas elas precisam ser pesadas. Aceite o que fizer sentido no Espírito.

Acordei de um sono profundo esta manhã (3 de janeiro) com um forte impulso de que era hora de me levantar e orar. Nossa casa é escura e não há relógio na cabeceira então sem noção de horário eu saí do quarto no escuro. Quando entrei na sala eu vi que eram 3:03h do dia 3 de janeiro. Então eu sei que esta é uma hora designada.

Todos temos o privilégio e a responsabilidade de vivermos com a revelação que recebemos, então quero dar o histórico (ou o cenário) por trás de algumas questões:

Dois sonhos continuam moldando como estou encarando esta década e já escrevi sobre eles antes:

1) A abertura das instituições que moldaram nossa cultura ocidental. Uma abertura para que o que está dentro possa ser visto mas novamente sendo fechado para proteger e manter as coisas como estão. A batalha para os seguidores de Jesus é abandonar o desejo de recorrer para o que é familiar

2) Esta é uma década turbulenta com uma movimentação em direção aos extremos. Há um processo de reequilíbrio incrível. Nós não podemos e não devemos esperar que as coisas sejam simplesmente restauradas. Uma era está passando. Há ciclos que começaram há 50 e outros que começaram há 500 anos que estão conectados ao que está acontecendo e estas coisas estão sendo confrontadas. Provavelmente muito está enraizado na pirataria, como algo sendo atraído e depois destruído. Pela primeira vez depois de orar hoje de manhã eu sugiro que há uma conexão entre a revolução sexual descontrolada dos anos 60 e um consequente desejo por finanças e poder também descontrolado.

Seguem outros fatores que parecem ser relevantes para a época atual:

3) Outro sonho sobre o qual já escrevi que tive há alguns meses: uma pessoa dos EUA vem me visitar durante junho ou julho de 2012 e me pergunta como a Espanha sobreviveu a crise econômica de fevereiro de 2012. Os meses de fevereiro a junho/julho são meses nos quais os que estão nestes contextos geográficos precisam estar vigilantes. A sabedoria parece dizer que estes serão meses onde mudanças repentinas nos planos precisam ser realizadas com insight verdadeiro (vou escrever algo abaixo sobre orar pela prosperidade da cidade).

4) Em 1991 eu vi filas de pessoas esperando alimento nas ruas da Europa Ocidental. Ano passado tivemos o privilégio de estar do lado de fora do prédio da igreja Filadélfia em Estocolmo, que foi construída num período de grande dificuldade econômica e a igreja estava envolvida com a alimentação de grandes grupos na mesma época.

5) Deus me deu uma palavra em 2005 sobre as eleições de 2008 e 2012 nos EUA. São anos de definições para aquela terra. Mais tarde com as Olimpíadas em Londres (40 anos depois dos ataques terroristas aos atletas em Munique… o atentado a bomba no metrô de Londres um dia após o anúncio de que as Olimpíadas seriam lá) há marcos importantes nas terras.

6) Um sonho recente durante uma época de divergência política entre nações era baseada numa resposta tipo “o que é melhor para nós”, eu ouvi uma declaração de Guerra e dediquei tempo para visitar os dois países para encorajar os cristãos a encontrarem uma forma de orarem e trabalharem para que o Reino venha, independente das fronteiras. A tristeza foi que eu não consegui encontrar ninguém para trabalhar desta maneira porque nas duas nações eles simplesmente se alinharam de forma nacional.

Então me deixem compartilhar algumas perspectivas:

Aspectos que devem ser considerados e sobre os quais devemos meditar: os espias ficaram na terra escondidos durante 3 dias (Jos. 2:22), o povo esperou 3 dias até que estivesse pronto (Jos. 3:2); foi depois de 3 dias que a hostilidade entre Saul e Davi se tornou visível (1 Sam. 20:5); foi depois de 3 dias que Ezequias foi curado (2 Reis 20:5); o terceiro dia foi marcado por desespero e desentendimento (Lucas 24:18) e obviamente esperança completa e válida para o futuro. Há material aí que sera específico para este ano.

Nesta estação imediata podemos perceber que estamos chegando ao fim de uma estação de separação e deslocamento. Em 3 dias Deus atuou na separação (criação), para estabelecer a administração. Ao final deste ano haverá oportunidade para novas conexões.(Paul Leader escreveu sobre “juntar os pontos”). O isolamento pode abrir caminho para contextos novos mas também amplos.

O que nos aguarda?

Tempos apontados, porém inesperados será uma das marcas…
Nem sempre apontamentos como que numa agenda ou calendário, mas algo que venha da esquerda do campo. Formas antigas de fazer as coisas serão desafiadas este ano apesar de existir uma voz forte proclamando “temos que retornar”. Fiquem atentas a isso nas esferas políticas e religiosas. Não há como voltar atrás. Os tempos mudaram.

Fiquem alertas a situações onde exista uma mudança de ritmo, algo que perturbe o que foi planejado e esperado. Esta situação será uma oportunidade escondida tanto para resolver questões e padrões familiares quanto para dar visão e insight.

Dias de acordar e perceber que ‘estou decepcionado e, portanto cansado sobrevirão sobre muitos. A decepção não é o problema. Mas não encará-la e procurar soluções em outros lugares não aliviará o sentimento. Eu vejo uma raiz de decepção que trouxe consigo o cansaço. (E o que vou escrever não é nem uma palavra de condenação e nem uma palavra genérica – para alguns isso será uma palavra literal de cura física) admitir a decepção será a porta para a cura. Tenha esperança novamente… mas espere em Deus.

Um de nossos chamados é orar pela prosperidade de onde estamos plantados – mesmo se for na Babilônia. Contudo, é importante que não reduzamos a prosperidade na terra a algo financeiro. Há grandes perdas a serem feitas neste ano. A frase “registrar perdas” é algo que vamos ler. A pobreza financeira não é uma bênção, mas o casamento da igreja com o nacionalismo e a prosperidade nacional que vem como resultado deste casamento empobrecerá a muitos.

Resumindo, estas são as questões que devemos enfrentar:

• Nacionalismo
• Decepção
• O familiar e um chamado pelo “ontem”
• Viver somente com a agenda/calendário

Oportunidades:

• Encontros/apontamentos não planejados e inesperados
• Contextos novos, porém amplos com os quais se conectar
• Novo descanso substituindo o cansaço para poder dormir durante a tempestade

Nota de rodapé – coincidência ou não, eu olhei para o relógio depois de algumas horas e quando eu terminei ele marcava 06:06h. Exatamente 3:03 após o início, Será que entre 3/03 e 6/06 devemos estar mais vigilantes do que estivemos antes?

Martin Scott

Traduzido por Denise De Vasconcelos Araujo

http://3generations.eu/blog/archives/5558

http://am38.rugidodoleao.com/

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Acústico 1CR25 – Rugido do Leão – Lançamento dos EPS “Arder e Iluminar” e “Prontos Para Ir”

O programa Acústico 1Cr25 foi gravado em junho de 2011 para contar a história por trás das músicas dos discos “Arder e Iluminar” e “Prontos para Ir” e debater sobre o impacto que elas causam naqueles que as escutam. Um ambiente informal, muitos violões e muita verdade regaram esse evento que, certamente, foi marcante para aqueles que participaram.

“Os cds estão muito bons recomendo a todos. Eu os tenho usado em momentos de oração e adoração.” Pedro Quintanilha ><>

O Ministério Apostólico e as Escrituras

O cessacionismo dispensacionalista afirma que o dom apostólico cessou com a morte da geração da Igreja Primitiva. No entendimento dos irmãos que defendem esta crença, um dos requisitos do dom apostólico era redigir as Escrituras do cânon. Os apóstolos supostamente eram um grupo seleto com autoridade exclusiva para escrever e/ou supervisionar a redação dos livros da Bíblia.

A conclusão, portanto, é a de que, uma vez que o cânon já está fechado e a Palavra de Deus está completa, não há e jamais haverá apóstolos que sucedam os apóstolos bíblicos, pois nenhum homem tem o poder de adicionar livros às Sagradas Escrituras.

A verdade, porém, é que este silogismo está comprometido, pois parte de uma premissa totalmente carente de sustentação bíblica. A idéia de que a operação do dom apostólico está relacionada de forma restrita à redação de Escrituras é uma filosofia que se fossilizou ao longo dos anos, mas não é algo que a Bíblia nos ensina, como veremos.

Ironicamente, o primeiro Apóstolo, Jesus (Hb 3.1), não escreveu absolutamente nada além de algumas palavras na areia (Jo 8:6). Dos 12 apóstolos originais, somente uma minoria produziu escritos canônicos (Pedro, João, Mateus). Dos demais apóstolos, somente Judas e Tiago (meio-irmãos do Senhor Jesus) e Paulo escreveram Escrituras. A maioria absoluta dos apóstolos não se preocupou em escrever ou incluir novos escritos no cânon, pois para eles as Escrituras já existiam (o Antigo Testamento) e toda sua revelação apontava para elas.

É mais do que óbvio, portanto, que “escrever ou supervisionar a redação das Escrituras” não é a marca principal do apostolado. O principal papel do ministério apostólico/profético não é expandir o cânon, mas manifestar, no tempo e no espaço, a revelação para a qual o cânon aponta.

A própria Bíblia nos demonstra claramente que, a exemplo de Barnabé, apóstolos e profetas não têm que necessariamente criar novas Escrituras. A principal característica destes ministérios é trazer revelação (literalmente “tiram o véu”) das Escrituras já existentes, pela natureza e operação de seu dom. São catalisadores do Espírito Santo para levar a Igreja da Letra para a Realidade pela Palavra Viva – a manisfestação ao vivo e em cores daquilo que antes estava restrito à letra. Apóstolos e profetas sempre apontam para as Escrituras já existentes, pois elas é que testificam de sua mensagem e de seus frutos. Assim foi com o primeiro Apóstolo, Jesus, assim foi com os demais e assim será com os vindouros.

Um outro equívoco, amplamente difundido entre os cessacionistas dispensacionalistas, é o de que as Escrituras hoje cumprem o papel do ministério apostólico. Em outras palavras, cada vez que a Palavra de Deus no Novo Testamento é lida e proclamada, o ministério apostólico cumpre o seu papel.

Em primeiro lugar, é bom nos recordarmos de que 1 Co 12:28 relaciona o dom apostólico juntamente com os demais dons espirituais. Portanto, é lógico pensar que, assim como os demais dons não cessaram e estão disponíveis à Igreja, do mesmo modo o dom apostólico.

De acordo com Efésios 4.11-13, o plano de Deus é que a Igreja seja suprida com apóstolos e profetas assim como é com pastores, evangelistas e mestres “até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo”. Se ainda não chegamos ao pleno conhecimento do Filho de Deus e à perfeita varonilidade, apóstolos e profetas são tão necessários quanto pastores, mestres e evangelistas.

Paulo uma vez mais lista apóstolos e profetas de maneira indistinta dos demais ministérios. Se o ministério apostólico estivesse restrito a um número limitado de pessoas, Paulo não os teria relacionado com os demais quando escreveu aos Coríntios e aos Efésios. Não há absolutamente nenhuma passagem bíblica que afirme que alguns dons continuariam sendo dados ao Corpo de Cristo e outros cessariam ou seriam substituídos pelas Escrituras.

Como frutos de uma sociedade ocidental, e consequentemente do escolasticismo grego, realmente pensamos que o ministério apostólico se resumia na proclamação e no ensino das Escrituras. Reduzimos o apostolado à mera exposição exegética de um conjunto de doutrinas bíblicas. Como filhotes de Aristóteles, de Sócrates e de Platão, pensamos que realmente podemos entender e manifestar o mistério entre Cristo e a Igreja somente usando o lóbulo frontal do cérebro. Mas o Fundamento apostólico não se limita à mera exposição exegética das Escrituras.

Apóstolos são pessoas que possuem revelação do DNA da Igreja e entendem seu funcionamento. Em outras palavras, o ministério apostólico vai muito além de pregar a “doutrina correta”, mas se estende a capacitar os membros da Ekklesia a operarem em uma dimensão real de sacerdócio universal (algo que a Igreja Protestante somente recita, mas pouco implementa na prática). Quando um apóstolo lançava o Fundamento, como sábio arquiteto (1 Co 3:10), não apresentava um conjunto de doutrinas, mas provocava a manifestação de uma Pessoa no Corpo de Cristo. Os dons apostólico e profético na Igreja funcionam como catalisadores do Espírito que organizam os elementos da Casa de Deus (a Palavra e os dons espirituais) de forma que seus membros operem organicamente, literalmente como o Corpo. Apóstolos e profetas não se limitam a somente estabelecer conceitos corretos, mas também o modus operandi (MO) correto da Igreja, de acordo com os moldes lançados pelos primeiros apóstolos. Isso é lançar o Fundamento apostólico/profético.

O alicerce (fundamento) de uma casa determina sua forma. O MO ou a forma da Igreja atual não reflete o fundamento dos primeiros apóstolos e profetas. Seu fundamento não é apostólico-profético, é fruto de uma tradição greco-romana clerical-templocêntrica que se cristalizou na Casa de Deus ao longo de milênios. A Igreja hoje opera nas bases da organização (institucionalismo romano) e da teologia contemplativa que exalta o poder do conhecimento intelectual (escolasticismo grego), em detrimento da Palavra Viva revelada. O homem está satisfeito com seu modelo greco-romano de Igreja, visto que apresenta uma necessidade inerente de controlar as coisas para se sentir seguro. Apóstolos e profetas nos dias atuais apontam para a revelação bíblica de uma Igreja simples, que opera de forma descomplicada , espontânea, orgânica e acima de tudo descentralizada.

A Igreja sempre teve a Palavra Escrita em suas mãos. Mas anos e anos de tradição religiosa encobriram muitos princípios nela revelados. Necessitamos de apóstolos e profetas nos dias atuais que possam levar a Igreja de volta à simplicidade e ao dinamismo descritos na Palavra Escrita, mas que por falta de revelação, estão congelados na forma da Letra.

É bom ressaltar o óbio: os primeiros apóstolos possuem a primazia. Mas eles são singulares, não porque foram os únicos, mas por que foram os primeiros e portanto estabelecem a referência. São nossos pais espirituais porque, como prudentes construtores, nos apresentaram a planta da Casa de Deus (e ninguém jamais deverá edificar fora das medidas por eles apresentadas). O ministério apostólico nos dias vindouros não fará novas adições à Casa, antes edificará segundo as medidas que foram apresentadas no passado (e que foram encobertas pela tradição religiosa). Não haverá “nova revelação” a ser acrescentada e sim a revelação das coisas que já nos foram dadas nas Escrituras e que outrora estiveram encobertas. Assim foi com o primeiro Apóstolo, assim foi com os demais e assim será com os vindouros. Da Letra para a Realidade. Da Palavra Escrita à Palavra Viva.

Fonte: © Pão & Vinho

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Tocar o Céu e Transformar a Terra

Desde de janeiro de 2010 que tenho meditado, refletido e buscado praticar o que escrevo hoje. Fui muito tocado por Deus durante as ministrações do Kaká do ministério Ele Clama, na escola do Clamor de 2010, me identifiquei muito com ele e sua percepção do Reino, conversamos sobre a Igreja e o que Deus estava fazendo em Cabo Frio, ele contou sobre o que Deus estava fazendo em Contagem e em sua vida. É muito gênio quando vemos Deus operando seus planos levantando pessoas e fazendo gente de diversos lugares com suas particularidades caminharem em direção ao Seu propósito.  Andar no mesmo espírito é muito legal e é um desafio, mas é estranho ver que muita gente não consegue entrar no fluir do que Deus está fazendo e falando e isso que me motivou a escrever esse artigo.

“A que posso comparar esta geração? São como crianças que ficam sentadas nas   praças e gritam umas às outras:  ‘Nós lhes tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não se entristeceram’.” Mt 11. 16,17

 Esse texto fala de algo que está acontecendo no céu, mas que não tem uma correspondência na terra.

 Só será possível tocar a terra com transformação se cooperarmos com o que Deus está fazendo. É preciso parar de pedir que ele abençoe nossas coisas e identificar por meio da oração e busca o que Ele já está fazendo e nos juntarmos a isso.

 Nós (Igreja) temos gastado muito tempo com nossas coisas, realizando nossos programas, nossas conferências, nossas reuniões, nossos shows, nossas festas, nossos grupos caseiros, nossas atividades. Não sou contra nenhuma dessas coisas ao contrário sou a favor só não gosto muito de show gospel (mas isso é pessoal).

 Temos feito muito e vemos pouco avanço, porque o avanço não tem nada haver com o muito fazer, mas sim com ver e fazer aquilo que Ele está fazendo. Precisamos nos envolver com o que Ele está envolvido.

 Com que Deus está envolvido? O que Ele está fazendo?

 Vou te dar minha leitura a respeito desse aspecto o que vejo:

 Vejo que Deus movendo a Igreja para ruas para amar as pessoas, mostrar que ele não está com raiva delas, que ele deseja curá-las sem pedir nada em troca;

 Vejo o movimento dos Santos se consolidando, os 5 ministérios consolidados e capacitando os santos para desempenharem suas funções no meio da sociedade, Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres treinando o corpo para ser como Jesus e levando o corpo a funcionar;

 Vejo imperadores evangélicos sendo destituídos do poder “Sauls” caindo e “Davis” sendo levantados;

 Vejo a Igreja tomando uma forma nunca vista antes que não é voltando ao molde da igreja primitiva, mas crescendo e evoluindo aprendendo com os erros do passado para construir um futuro glorioso;

 Vejo homens e mulheres entregando suas vidas por uma causa em comum, estes desejosos de ver mudanças radicais na sociedade;

 Vejo a Igreja crescendo de maneira horizontal se relacionando como uma rede sem fim onde Cristo é o cabeça e seu corpo se move pelo Espírito;

 Vejo barreiras denominacionais caindo no coração dos homens como o muro de Berlim e as muralhas de Jericó.

Vejo uma nova cultura sendo levantada, que não será como a subcultura evangélica que existe, vejo a cultura do Reino sendo estabelecida, uma cultura de tolerância, amor, paz, alegria, graça, verdade e justiça.

 Posso ver essas coisas acontecendo em nossos dias a despeito de muitos que só veem o mundo indo de mal a pior. Eu digo não a essa mentira, a criação anseia com ardente expectativa pela manifestação dos filhos de Deus, eu e ,provavelmente, você somos esses filhos (ruios – filhos maduros).

 Lutarei até a morte, por uma terra melhor, por pessoas melhores. Lutarei até a morte para que o Céu venha para Terra. Gastarei toda minha vida pelo Senhor Jesus aquele que venceu a morte e o inferno e me tornou coerdeiro de tudo que tem, aquele que me tornou sua justiça na terra e me incubiu de terminar o que começou. Por que Dele por meio Dele e para Ele são todas as coisas.

 Tudo depende do que agente crê isso determinará como empenharemos nossos esforços.

 Cristo em nós e através de nós é a solução para Terra.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Reino e Sacerdote

Apocalipse Capitulo 1 verso 5 e 6 a biblia nos fala assim:

“E da parte Jesus Cristo a Fiel testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Aquele que nos ama , e, pelo seu sangue,  nos libertou dos nossos pecados, e nos constituiu REINO e SACERDOTES para o seu Deus e Pai, a ele a glória o domínio pelo século dos séculos. Amém!”

A palavra é clara quando diz que ele nos constituiu Reino isso fala lugar de governo. Nós enquanto Reino necessariamente temos de ter um REI e este é Jesus Cristo o Rei que Reina , eternamente e por sua infinita graça e misericórdia Reina em nós e através de nós.

Ela também nos mostra que O Senhor Jesus nos constituiu sacerdotes e isso fala que nós temos um serviço. Se formos buscar no antigo testamento iremos ver que o sacerdote tinha o serviço de ministrar a Deus e ao povo, se hoje por meio de Cristo nós somos Sacerdotes nós também temos este trabalho de ministrar a Deus e ao povo. Quando falo ministrar a Deus falo de Orações, Louvor e adoração. Temos também o serviço de ministrarmos uns aos outros sendo edificados e edificando através do ensino , exortação , consolo, comunhão,profecia e também temos um serviço para com o mundo por meio da pregação do evangelho, do nosso testemunho pessoal e do ministério de misericórdia (prestação de auxílio aos necessitados). Assim por meio destes serviços nós iremos redimir nossa sociedade e seguir em direção ao propósito eterno de Deus que é ter uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus para Glória de Deus Pai.

A condição para sermos participantes do seu Reino vindouro é nos identificar com o sacrifício de Jesus por meio de sua morte e ressurreição em carne quando através da graça mediante a fé nascemos para uma nova vida.

Hoje nos tornarmos agentes de propagação e estabelecimento do seu Reino presente que não vem com visível aparência, não vem através de estruturas e modelos ,  mas se manifesta através do nosso relacionamento com o Rei que é Jesus e uns com os outros. Este reino se mostra visível pela execução prática do nosso Sacerdócio que é tanto a devoção e o serviço ao nosso Rei quanto pela expressão do nosso testemunho ao mundo e amor uns para com os outros. Podendo assim transformar a Terra por meio de Sua influência em nós e através de nós.

Podemos enxergar a atuação deste Reino e deste Sacerdócio através do poder do Espírito Santo trazendo:  Libertação dos cativos emocionalmente, curas de enfermidades físicas, restauração de famílias , transformação em todos os níveis nas esferas da sociedade seja na área dos negócios, na política, nas artes,  na educação ou  na mídia.

Mas isso não será conquistado por meio de filosofias ou belos discursos, mas sim pela prática do amor dia após dia nos rendendo ao nosso Rei e Senhor Jesus deixando com que ele nos mude e nos transforme por meio do seu Espírito e da sua Palavra. Nós enquanto Reino e Sacerdotes devemos nos deixar ser moldados segundo o caráter do nosso Rei nos sujeitando uns aos outros andando na verdade, tendo uma só missão que é Discipular as nações para Cristo. Indo, Batizando e Ensinando a guardar tudo o que ele nos ordenou.  E que possamos valorizar e amar a Igreja de Jesus, pois ele nos amou primeiro e deu sua vida por nós.

É meu desejo ver não só nossa região transformada para glória de Deus, mas que possamos ser cooperadores para a transformação das nações por intermédio do estabelecimento do seu Reino.

Que Venha e permaneça o seu Reino Inabalável.

No amor de Jesus ,

Pedro Quintanilha ><>

Restauração de todas as coisas

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos de refrigério pela presença do Senhor.E envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado. Convém que o céu o contenha até os tempos da restauração de todas as coisas,dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas,desde o princípio.” Atos 3.19-21

 

Restauração: é o processo de corrigir uma condição através de uma mudança. 

 

Tudo começou com um plano maligno para parar a Igreja, a Igreja neotestamentária  vivia uma vida de amor e devoção que espantava a todos isso começou a incomodar o Império romano, nossos amados irmãos passam a ser perseguidos,por representarem uma ameaça ao Estado,porém as perseguições só serviram para consolidar ainda mais o cristianismo isso trazia mais revolta aos corações dos perseguidores. Então depois de 300 anos de história de martírios e perseguições, satanás muda sua estratégia de ataque contra a igreja e entra na lógica do “se não pode com eles junte-se a eles” nunca um ditado foi tão verdadeiro. Através do Imperador Constantino a Igreja se torna agora uma RELIGIÃO e o pior de tudo estatal, a igreja se funde ao estado e o sincretismo entra e faz morada. A partir deste momento começamos a descer uma escada onde princípios valores mandamentos e verdades passam a ser quebrados, abusados e perdidos (não necessariamente nesta ordem) chegamos ao que a história chama de Idade das Trevas.

 

Mas Deus, já tinha tudo planejado e quando tudo parecia perdido começa a restauração da Igreja, o “Apóstolo” Matinho Lutero dá o ponta pé inicial em algo que nem mesmo ele sabia onde ia parar, movido por uma revelação o Espírito Santo começa o processo de restauração de verdades perdidas. Segue abaixo um quadro do livro Apóstolos e Profetas do Dr. Bill Hamon com as verdades restauradas pelo Espírito Santo ao longo dos anos:     

 

Ano

Movimento

Verdade Restaurada

1517

Protestante

Salvação pela graça, através da fé(Ef 2.8-9)

1600

Evangélico

Batismo por imersão; separação de Igreja Estado

1700

Santidade

Santificação.A Igreja e o mundo

1800

Cura pela Fé

Cura divina

1900

Pentecostal

Batismo em outras línguas; dom do Espírito Santo

1950

Chuva Serôdia

Presbitério profético; adoração e louvor

1950

Evangelismo e Libertação

Ministério do Evangeslista restaurado;Evangelismo de massa e libertação

1960

Carismático

Renovação de todas as verdades restauradas;Liderança Pastoral, os Pastores são restaurados a liderança.

1970

Mensagem de fé prosperidade, atitudes e vida vitoriosa Ministério de Mestre é restabelecido como parte do Ministério quintuplo.

1980

Profético

Profético, dons ativados, adoração de guerra, profetas para nações. Ministério de Profeta foi restaurado e uma companhia de profetas surgiu

1990

Apostólico

Miraculosos sinais e maravilhas, ministério apostólico, unidade, grande colheita de almas, Ministério do Apóstolo sendo restaurado para trazer ordem e estrutura divinas, finalizando a restauração dos cinco ministros.

Isso nos trás esperança e precisa nos levar a uma nova mentalidade. Vemos que o Espírito santo continua restaurando a sua Igreja e nós enquanto Igreja precisamos entrar neste mover e acompanhar está restauração, pois só assim poderemos efetivamente cumprir com a Grande Comissão, isso implica em mudança de mente e de atitudes, devemos ser mais responsáveis quanto a oração e ao ensino e estar abertos ao novo de Deus, tendo o discernimento do Espírito Santo e a firmeza na palavra escrita de Deus, que é a bíblia.  

 

Estamos em um tempo de restauração e transformação e o Senhor nos pergunta onde estão os RESTAURADORES e TRANSFORMADORES deste tempo?

 

“Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mi.” Isaías 6.8     

 

Eu desejo responder ao Senhor como o profeta Isaías respondeu. E você?

Pedro Quintanilha ><>