Preparando o Caminho Através do Exemplo

Ml 4.6 “Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais; do contrário eu virei e castigarei a terra com maldição. “

O Contexto do Livro de Malaquias: Tempo pós exílico onde o povo estava em decadência espiritual, Malaquias se levanta profetiza com o propósito de levantar o povo da sua decadência e imoralidade ele deixa registradas também profecias que dizem respeito a primeira e segunda vinda do Messias.

– O que é converter o coração dos pais aos filhos?

Converter fala de mudar o caminho.

Os corações dos pais precisam se voltar para os filhos e dos filhos para os pais. Note que o coração dos filhos se voltarem para os pais vem em segundo lugar, ou seja primeiro o coração dos pais precisa se voltar para os filhos a consequência disso é o coração dos filhos se voltarem para os pais.

É dever dos pais se voltarem para os seus filhos pois são os pais que possuem autoridade direta de Deus sobre a vida dos filhos e são eles que comunicam aos filhos os atributos e a identidade de Deus.

Se isso não acontecer Deus disse que feriria a terra com maldição, que maldição é essa?

Palavra (Kjérem ou Cherem) no Hebraico : Como fechar de uma rede. relacionada a condenação, destruição total.

O Texto de Malaquias se cumpre em parte na vida de João Batista pois o antigo testamento são figuras ou sombras do que haveria de vir segundo Hb10.1

– Esse texto se cumpre em parte na vida de João Batista “E irá adiante do Senhor, no espírito e no poder de Elias, para fazer voltar o coração dos pais a seus filhos e os desobedientes à sabedoria dos justos, para deixar um povo preparado para o Senhor”. Lc 1.17

Outra aplicação que podemos fazer desse texto é que ele deve se cumprir na vida da igreja pois assim como João, o Batista preparou o caminho para a primeira vinda de Jesus, nós como igreja temo o dever de preparar o caminho para sua segunda vinda.

O que é preparar o caminho?

Preparar o caminho é viver antecipadamente aquilo que se vai viver depois.

Ex: Nóe viveu antes do dilúvio viveu com uma mentalidade que era para se viver depois do dilúvio. Moisés viveu 40 anos no deserto antes de levar o povo a peregrinar por mais 40 anos no deserto.

Como isso pode ser prático pra nós:

Os pais precisam viver e ser exemplo para os seus filhos se quiserem que eles vivam a vida de Jesus. Eles tem que viver a vida de Jesus e a partir do que eles veem nos pais assim terão um modelo para reproduzir. Como Jesus fez com seus discípulos. Ele através do exemplo de vida ensinou. Mesmo sem palavras ele ensinava pois a vida dele era o próprio ensino.

Os filhos podem não ouvir o que os pais falam mas eles vêm o que eles fazem.

Um exemplo meu: Certa vez vi meu pai de joelhos orando no sofá de nossa casa eu passei por ele e senti um grande desejo de orar e me relacionar mais intimamente com Deus. Meu pai nem sabia que eu o tinha visto. Ele não precisou falar nada, não precisou me mandar orar ou buscar Deus, o fato de ele buscar Deus em oração falou ao meu coração mais do que qualquer palavra.

– A figura do pai comunica para o filho Deus como Pai:

O pai comunica a identidade, autoridade para o filho.

Os filhos que tem dificuldade de ver Deus como Pai geralmente tem um relacionamento ruim ou distante com seu pai.

– A figura da mão comunica para o filho o Espírito Santo

O Espirito Santo apesar de não ter sexo possui características muito similares as da mãe

Consolador, Conselheiro, Aquele que Convence, (Jo 14.16,26; 15.26) Ele se intristece (possui emoções)(Ef.4.30), Intercede por nós Rm8.26,27.

Geralmente filhos que tem dificuldade de se relacionar com Espírito Santo este não teve um bom relacionamento com sua mãe.

A responsabilidade dos pais é muito grande, pois eles foram escolhidos por Deus para formar nos seus filhos a identidade de Deus. Isso será mais um passo em direção ao caminho que necessita ser preparado para que o Senhor venha.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Unidade: Pilar do Avivamento

unidade, pilar do avivamento. “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e que como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também  sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós somos; eu neles, e tu em mim a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.”(Jo 17; 20-23)

Não existe nenhuma oração que o Filho tenha feito que o Pai não respondesse. Isso nos dá esperança de alcançar a tão sonhada unidade. Sonhada por muitos, esperada por alguns, buscada por poucos.

Uma das funções deste organismo corporativo chamado igreja é demonstrar o amor de Deus na terra. Uma das condições que vemos nas escrituras, mais especificamente nesse texto acima é que a unidade é um fator decisivo para que o mundo creia que o Pai enviou Jesus. Nessa oração Jesus orou por mim e por você, isso mesmo você que está lendo esse texto, Jesus orou ao Pai por nós e nessa oração ele clama por unidade, mas o que é de fato unidade?

Para entender o que alguma coisa é às vezes é mais fácil vermos primeiro o que não é.

Muitas pessoas juntas em um lugar não configura unidade. Pessoas falando da mesma forma e agindo da mesma forma também não configura unidade ou seja Podemos estar juntos e não sermos um, podemos até falar que somos um e não ser.

Unidade fala muito do nosso coração e a partir desse coração somos atraídos e aproximados naturalmente.

Deus não vê como o homem vê, ele consegue enxergar nossas particularidades e individualidades mais do que qualquer um, porém quando Deus o Pai olha para uma cidade ele vê uma igreja. As divisões e barreiras denominacionais encontram-se em nossos corações. Deus deseja que caminhemos como igreja, unida a ele no espírito e na prática que caminhemos juntos em prol de uma revolução de amor em nossas cidades.

A igreja não está restrita a quatro paredes de um lugar de reunião, mas assim como diz as escrituras ela avança e as portas do inferno não podem prevalecer contra a igreja (Mt16.18). Porta fala de defesa, ou seja, a igreja avança caminha pela cidade espalhando o amor de Cristo e sendo um instrumento para redimir, resgatar pessoas da condição de morto para vida.

Isso nos leva a refletir: Será que estamos vivendo de acordo com a oração de Jesus?  Será que nós não podemos ser a resposta a essa oração?

A unidade é um pilar é uma coluna que sustenta o avivamento. Muito se fala de avivamento, porém muito do que vemos é barulho e propaganda com pouca ou quase nenhuma transformação efetiva.

Quando penso avivamento penso em pessoas juntas por um propósito gerando uma influência efetiva nas condições sociais e morais da sociedade. Assim como Samuel meu pastor sempre fala “Não existe avivamento sem arrependimento” e o arrependimento (mudança de mente que se reflete em uma mudança de atitude) é o fator chave tanto para unidade quanto para vivermos um verdadeiro avivamento. Podemos observar isso inclusive naqueles vídeos da série Transformações do George Otis Jr. Alguns exemplos como o que aconteceu na Colômbia no Quênia na Califórnia.

A partir disso passamos para uma parte mais prática. Como podemos então viver um verdadeiro avivamento e caminharmos em unidade como de fato uma igreja na cidade?

1-    Através de mobilizações de oração e adoração onde poderemos nos congregar como igreja na cidade e buscar ouvir Deus como corpo.

2-    Apoiando iniciativas do conselho de pastores da nossa cidade.

3-    Pastores e representantes da igreja sentarem juntos para discutir ações que dizem respeito às necessidades da cidade e assim verificar quais áreas necessitam de assistência social.

4-    Sermos comprometidos individualmente com a prática da leitura da bíblia, orações e obras de justiça social, atitudes de solidariedade.

5-    Proclamar o amor de Deus e o arrependimento com nosso exemplo de vida e não simplesmente com um discurso bonito

6-    Entender que não é por nossa força que vamos alcançar a unidade e o avivamento mas que esse é um desejo de Deus e nós precisamos simplesmente estar na posição correta.

Espero que esses pontos sirvam para nortear nossa busca pela unidade e avivamento e que não percamos a esperança de que Deus é o mais interessado em nos transformar do que nós mesmos. É desejo de ele ver homens e mulheres rendidos aos seus pés e acolhidos pelo seu amor. Deus deseja o melhor para todos nós e sem dúvida o melhor e viver uma vida eterna em Cristo essa é nossa esperança.

“Se nossa esperança se limita a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.” 1 Co15.19 “…Cristo em vocês a esperança da Glória.”  Cl 1.27

Se gostou compartilhe. Comente sua opinião é importante. Vamos conversar..

 No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Seja também um Jovem Ponte sonhe com um Brasil melhor

Vídeo que fala sobre a perspectiva de crescimento e evolução  do Brasil. Jovens que tem trabalhado para ser influência e gerarem mudanças concretas onde vivem por meio de micro revoluções. Que sirva de inspiração para todos nós. Que possamos sonhar juntos e trabalhar por um Brasil melhor.

Veja meu sonho em: http://osonhobrasileiro.com.br/dreams/1532-pedro-quintanilha

Compartilhe o seu também. Eu quero saber qual é seu sonho!

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>