Francis Chan – Repensando a Igreja

Francis Chan é um pastor na California que deu uma guinada em seu ministério e lançou um movimento de discipulado nos EUA chamado “Multiply” (Multiplicar). Seu lema é: “se você tivesse sido criado em uma ilha deserta e a única referência que tivesse da Igreja fosse o Novo Testamento, você reconheceria a Igreja moderna?”

Saiba mais em: http://wearechurch.com/

 

Igreja nas Casas ou Casa uma Igreja?

Igreja nas Casas

Quando descobri que Igreja não era um prédio isso mudou minha vida, já era um dito cristão, mas vivia uma vida sem compromisso com Deus e o evangelho. Não só pela falta de entendimento, mas por falta de vergonha na cara mesmo. Claro que a falta de entendimento também nos leva a uma falta de responsabilidade.

O que mudou então quando entendi que pessoas eram a igreja e não um prédio? Digo que tudo mudou, pois agora o lugar sagrado não é aquele que frequentamos domingo, mas sim nossas vidas, santo não é o “santuário”, mas eu. Agora tenho necessidade de ter reverência demonstrada na minha vida, não só me comportar bem em uma reunião.

Outra questão importante foi quando comecei a ler as escrituras e alguns livros e ver que as reuniões da Igreja não precisavam ficar limitadas a um dia da semana em um lugar especial. Assim com os primeiros discípulos a igreja poderia se reunir publicamente e de casa em casa.

Isso foi fantástico igreja em uma casa, pessoas que compartilham da mesma fé juntas e buscando ao seu Deus em suas casas, abrindo seus corações, orando por questões comuns, desfrutando de uma amizade verdadeira que não está limitada a um dia da semana, aprendendo a criar seus filhos, lidar com suas fraquezas, podendo demonstrar quem são de verdade, sem capa de religiosidade, que maravilha.

Aí vem a primeira decepção, começo a perceber que muitos irmãos que se dizem igreja não vivem como igreja e tratam o lugar de reunião como igreja, mesmo sem dizer que aquele lugar é igreja.

Então vem a segunda decepção mais irmãos que levam para as casas o mesmo protocolo de um culto convencional só que substitui a oferta pelo lanche no final. O resto é tudo igual.

Não sei se dá vontade de rir ou chorar…

Graças a Deus pela sua misericórdia que nos suporta e nos ensina cada dia a nos parecer mais com seu filho Jesus, igreja nas casas, igreja tradicional, igreja orgânica, igreja emergente, igreja missional, igreja comunidade, sem nome, com nome, denominação, movimento, blá blá blá.

Tenho chegado à conclusão de que o que importa mesmo é o cumprimento da missão ser e fazer discípulos.

Cumprir o propósito eterno de Deus de sermos uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus para glória de Deus. Discipular e transformar as nações tocando e influenciando cada aspecto de nossa sociedade com o evangelho do Reino.

Porque dele, por meio dele, Para ele são todas as coisas.

Que possamos nos abrir para que o Espírito Santo e nossos irmãos cooperem para transformar nossa essência por que a forma, na boa, pouco importa. O que importa realmente é o conteúdo, acredito que o conteúdo molda nossa forma e não o contrário. Uma questão em relação à forma, acredito que ela precisa ser flexível bastante para não impedir o avanço do Reino.

Tire suas próprias conclusões.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Características da Movimentação Apostólica

movimento apostólico

Movimento Apostólico, conheça as características dessa movimentação.

Vamos prosseguir com o assunto tratado no artigo  que fala sobre a necessidade de uma movimentação apostólica neste tempo, veremos algumas características dessa movimentação.

Primeiro vamos definir o termo apóstolo, muitas vezes esse termo é definodo como enviado, porém ele é mais profundo do que simplesmente alguém enviado para uma missão. O termo APOSTOLO = ENVIADO COM UMA FUNÇÃO que pode ser comparado com mensageiro, delegado, enviados para expansão geopolítica nos tempos do império romano, reconhecimento de uma autoridade, procurador, aquele que substitue quem o envio. Os melhores termos para definir apostolo são procurador ou administrador.

Vamos agora as características:

– Reposicionar o povo de Deus essa foi a primeira missão apostólica (Mt 10:6  “Antes, dirijam-se às ovelhas perdidas de Israel.”) isso fala sobre restaurar a identidade da igreja.

– Proclamação do Evangelho do Reino.

Fazer Discípulos

– Fortalecer e encorajar os discípulos.

– Estabelecer governo nas comunidades formadas. (At 14.21-23)

– A essência do ministério apostólico é de ser um despenseiro = administrador dos mistérios de Deus (1Co4.1) e Ministro = Remador de baixa categoria ou oficial de justiça.

– Criar acesso , chamados para incluir, assim como Paulo fez. (Ef 2.19-22, Rm 5.2, Ef3,2) Gerar acesso para a missão que temos diante de nós.

– Característica de gerar = trazer outros ao modo de vida de Cristo.

– Homens que tem credenciais, sinais, prodígios e milagres os acompanham. (2Co12.2)

– Serviço de preparar pessoas e apresenta-las a Deus (Rm15.16)

– Destruir fortalezas, destruir raciocínios e levar cativos pensamentos a Deus (2Co10.4)

– Solucionar problemas que surgem na igreja (1Co1.10)

Atrair e distribuir recursos financeiros.

– Implementar esses recursos.

Importante ressaltar que o apostólico está diretamente relacionado a igreja (Mt16.19, Mt18.15-20) tem como missão gerar missão e trazer desenvolvimento, gerar expansão da igreja e na igreja que são duas coisas diferentes.

Apóstolos são pessoas com uma visão ampla, possuem um olho na igreja e outro onde a igreja não está, quando outros serviços se alinham com eles se tornam apostólicos. Sua função é assegurar que toda a igreja na cidade se torne apostólica.

Muitos apóstolos são pessoas empreendedoras que se envolvem em negócios, possuem envolvimento missional, são pessoas rompedoras de limites. Apóstolos abrem novos espaços, são formadores de rede e estão comprometidos com o aperfeiçoamento que fala de capacitação, fortalecimento, restituição, reparo, arranjo, ajuste, colocar em ordem. O Aperfeiçoamento tem haver com uma atividade e não simplesmente com o ensino.

Que possamos descobrir e reconhecer pessoas apostólicas e apóstolos e nos conectar com eles para que todo o corpo possam se movimentar da melhor forma possível.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Apóstolos e Profetas

“…edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor.” Ef  2.20,21 (Grifo do autor).

Apostolos e Profetas na Igreja“Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dom de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas.” 1Co12.28 (Grifo do autor).

Pensando sobre esses textos e observando o quadro da Igreja atual, (não vou gastar perder meu tempo criticando não) tenho refletido sobre duas questões:

O que é ser o primeiro?

O que é lançar o fundamento?

Quando ouvimos que os Apóstolos e Profetas são os primeiros parece ser aqueles que detém todo o poder, aquele que manda, aquele que está no topo da pirâmide da hierarquia clerical. Interessante que os primeiros discípulos de Jesus já pensaram assim e o Mestre os exortou e explicou que não seria dessa forma entre nós (Lc 22.25-27). O maior é o que serve.

Engraçado olhar para esse texto e observar a postura dos chamados apóstolos do nosso tempo, mas esse não é nosso foco. O que desejo enfatizar é que existe uma lógica presa em nossas mentes que nos impedem de enxergar a forma do reino de Deus para isso nossa Cosmovisão precisa mudar.

Beleza, mas eai?

Quando Paulo, o apóstolo escreve o texto de 1Co12.28 e Ef 2.20,21 ele está descrevendo a mesma figura ele está falando da Igreja como uma casa, como um santuário composto de pedras vivas ele está usando a mesma figura de Mateus 16.18 aquela que Jesus usa para abençoar Pedro e a revelação que o Pai lhe deu sobre a Igreja.

Então o que é um fundamento ou a fundação de uma casa? Simples, aquilo que fica por baixo.

Agora parece que as palavras de Jesus e de Paulo começam a se encaixar.  Se os apóstolos e profetas são os que lançam os fundamentos e o fundamento é Cristo que está neles.  Eles não podem simplesmente lançar e sair como alguém que lança concreto no alicerce de uma casa. O exemplo destes homens é o próprio concreto que é lançado para que a igreja cresça sobre este exemplo de vida em Cristo assim como foi com Jesus.

A Igreja é o Corpo Vivo de Cristo na terra é a casa de Deus construída sobre Cristo através de homens e mulheres que vivem segundo o Espírito de Deus.

Por isso ser o primeiro parece ser o último, pois é o que fica por baixo sustentando o peso da construção, talvez agora você entenda por que Paulo fala “Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Temo-nos tornado um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens. “ 1Co 4.9

Que possamos nos deixar ser edificados sobre o fundamento, que é Cristo demostrado através do exemplo dos verdadeiros apóstolos e profetas  e assim possamos seguir em direção ao cumprimento do Propósito Eterno de Deus e na missão
de fazer discípulos segundo a imagem de Jesus.

No amor de Jesus

Pedro Quintanilha ><>

 

Unidade: Pilar do Avivamento

unidade, pilar do avivamento. “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e que como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também  sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós somos; eu neles, e tu em mim a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim.”(Jo 17; 20-23)

Não existe nenhuma oração que o Filho tenha feito que o Pai não respondesse. Isso nos dá esperança de alcançar a tão sonhada unidade. Sonhada por muitos, esperada por alguns, buscada por poucos.

Uma das funções deste organismo corporativo chamado igreja é demonstrar o amor de Deus na terra. Uma das condições que vemos nas escrituras, mais especificamente nesse texto acima é que a unidade é um fator decisivo para que o mundo creia que o Pai enviou Jesus. Nessa oração Jesus orou por mim e por você, isso mesmo você que está lendo esse texto, Jesus orou ao Pai por nós e nessa oração ele clama por unidade, mas o que é de fato unidade?

Para entender o que alguma coisa é às vezes é mais fácil vermos primeiro o que não é.

Muitas pessoas juntas em um lugar não configura unidade. Pessoas falando da mesma forma e agindo da mesma forma também não configura unidade ou seja Podemos estar juntos e não sermos um, podemos até falar que somos um e não ser.

Unidade fala muito do nosso coração e a partir desse coração somos atraídos e aproximados naturalmente.

Deus não vê como o homem vê, ele consegue enxergar nossas particularidades e individualidades mais do que qualquer um, porém quando Deus o Pai olha para uma cidade ele vê uma igreja. As divisões e barreiras denominacionais encontram-se em nossos corações. Deus deseja que caminhemos como igreja, unida a ele no espírito e na prática que caminhemos juntos em prol de uma revolução de amor em nossas cidades.

A igreja não está restrita a quatro paredes de um lugar de reunião, mas assim como diz as escrituras ela avança e as portas do inferno não podem prevalecer contra a igreja (Mt16.18). Porta fala de defesa, ou seja, a igreja avança caminha pela cidade espalhando o amor de Cristo e sendo um instrumento para redimir, resgatar pessoas da condição de morto para vida.

Isso nos leva a refletir: Será que estamos vivendo de acordo com a oração de Jesus?  Será que nós não podemos ser a resposta a essa oração?

A unidade é um pilar é uma coluna que sustenta o avivamento. Muito se fala de avivamento, porém muito do que vemos é barulho e propaganda com pouca ou quase nenhuma transformação efetiva.

Quando penso avivamento penso em pessoas juntas por um propósito gerando uma influência efetiva nas condições sociais e morais da sociedade. Assim como Samuel meu pastor sempre fala “Não existe avivamento sem arrependimento” e o arrependimento (mudança de mente que se reflete em uma mudança de atitude) é o fator chave tanto para unidade quanto para vivermos um verdadeiro avivamento. Podemos observar isso inclusive naqueles vídeos da série Transformações do George Otis Jr. Alguns exemplos como o que aconteceu na Colômbia no Quênia na Califórnia.

A partir disso passamos para uma parte mais prática. Como podemos então viver um verdadeiro avivamento e caminharmos em unidade como de fato uma igreja na cidade?

1-    Através de mobilizações de oração e adoração onde poderemos nos congregar como igreja na cidade e buscar ouvir Deus como corpo.

2-    Apoiando iniciativas do conselho de pastores da nossa cidade.

3-    Pastores e representantes da igreja sentarem juntos para discutir ações que dizem respeito às necessidades da cidade e assim verificar quais áreas necessitam de assistência social.

4-    Sermos comprometidos individualmente com a prática da leitura da bíblia, orações e obras de justiça social, atitudes de solidariedade.

5-    Proclamar o amor de Deus e o arrependimento com nosso exemplo de vida e não simplesmente com um discurso bonito

6-    Entender que não é por nossa força que vamos alcançar a unidade e o avivamento mas que esse é um desejo de Deus e nós precisamos simplesmente estar na posição correta.

Espero que esses pontos sirvam para nortear nossa busca pela unidade e avivamento e que não percamos a esperança de que Deus é o mais interessado em nos transformar do que nós mesmos. É desejo de ele ver homens e mulheres rendidos aos seus pés e acolhidos pelo seu amor. Deus deseja o melhor para todos nós e sem dúvida o melhor e viver uma vida eterna em Cristo essa é nossa esperança.

“Se nossa esperança se limita a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.” 1 Co15.19 “…Cristo em vocês a esperança da Glória.”  Cl 1.27

Se gostou compartilhe. Comente sua opinião é importante. Vamos conversar..

 No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

O que é Igreja?

Esta é uma resposta a muitas questões, vejo esse pequeno vídeo como uma forma de clarear nossas mentes a respeito do que é a Igreja. O que significa ser Igreja. A despeito do que muitos falam e creêm a Igreja permanece viva e caminhando prosseguindo para a realização do Eterno Propósito de Deus e firme em na sua esperança, mas isso é papo para outro post.

Se gostou de video comenta aí.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

A Importância da Igreja na Cidade – Felipe Assis

Uma abordagem contundente em relação ao evangelho e como o evangelho pode se tornar relevante para influenciar as cidades. Interessante a parte que ele trata que o Evangelho não visa estritamente transportar as pessoas da terra para o céu, mas restaurara a comunhão e o relacionamento do homem com Deus por meio de Cristo. Este evangelho possuí um ecossistema ele precisa se preucupar com o ESPIRITUAL, SOCIAL, CULTURAL.  Quando o evangelho se torna relevante nessas três áreas existe a possibilidade de influenciar as cidades para se tornar semelhante a cidade que Deus está construindo (Nova Jerusalém).

Se não tiver paciência de ver o video todo recomendo que assista pelo menos a partir dos   35 minutos.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Viver Uma Igreja Missional – Jonathan Dodson

Jonathan Dodson neste vídeo levanta questionamentos e nos apresenta respostas que nos fazem refletir sobre como estamos vivendo igreja em nossa comunidade. Fala também sobre a influência da igreja em nossa sociedade. Fala sobre discipulado e como deixarmos de viver como uma igreja monástica e nos tornar uma igreja missional.

“A missão precisa estar no DNA da igreja.”

“É preciso gastar mais tempo na cidade e menos na igreja.”

Estamos levando a igreja para a cidade ou chamando a cidade para vir à igreja?

Será que estamos plantando igrejas missionárias ou monásticas?

Quais são os pecadores que você convive diariamente?

Você sabe dos problemas dos seus vizinhos e já orou por eles?

Você é amigo de pecadores?

Igreja não se resume há um dia, um evento, um sermão, um monastério, um lugar de reunião.

Fazer discípulos que multiplicam discípulos que fazem discípulos isso acontece quando homens negam a si mesmo e vão atrás de pecadores na fraqueza ou no poder, nos centros ou nas margens da sociedade.

Recomendação de livro: A Igreja Total.

Recomendação de site: http://www.gcmcollective.com

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Somos O Resultado Daquilo Com Que Nos Enchemos

Cultuar a Deus é muito mais do que ir a um lugar onde muitas pessoas estão juntas em um dia da semana por um período de tempo. Acredito que o culto nunca acaba. O culto começa quando nos identificamos com o sacrifício de Jesus e vai continuar eternamente. Porém os nossos afazeres cotidianos acabam embaçando esse entendimento.

Claro que as reuniões dá igreja iniciam e terminam.  O que me motivou a escrever esse texto foi justamente o fato de durante duas semanas, em nossa comunidade que faz parte da Igreja em Cabo Frio, estamos tratando sobre o assunto da nossa postura para com a Reunião Geral da igreja e a nossa preparação para as reuniões da igreja.

Ontem fui convidado a levar alguns cânticos para uma de nossas reuniões nas casas, saí um pouco mais cedo do escritório onde trabalho e fui para casa orar. Fui buscar a Deus e adorar um pouco sozinho antes de estar com meus irmãos. Durante o período de oração lembrei do texto de Apocalipse capitulo 4 quando João em uma visão encontra-se no Céu, tem a visão do trono de Deus e vê os 24 anciãos se prostrando diante do Pai e colocando suas coroas diante dEle e também vê os 4 seres viventes entoando louvores a Deus.

Depois dessas coisas olhei, e diante de mim estava uma porta aberta no céu. A voz que eu tinha ouvido no princípio, falando comigo como trombeta, disse: “Suba para cá, e lhe mostrarei o que deve acontecer depois dessas coisas”. Imediatamente me vi tomado pelo Espírito, e diante de mim estava um trono no céu e nele estava assentado alguém. Aquele que estava assentado era de aspecto semelhante a jaspe e sardônio. Um arco-íris, parecendo uma esmeralda, circundava o trono, ao redor do qual estavam outros vinte e quatro tronos, e assentados neles havia vinte e quatro anciãos. Eles estavam vestidos de branco e tinham na cabeça coroas de ouro. Do trono saíam relâmpagos, vozes e trovões. Diante dele estavam acesas sete lâmpadas de fogo, que são os sete espíritos de Deus. Também diante do trono havia algo parecido com um mar de vidro, claro como cristal. No centro, ao redor do trono, havia quatro seres viventes cobertos de olhos, tanto na frente como atrás. O primeiro ser parecia um leão, o segundo parecia um boi, o terceiro tinha rosto como de homem, o quarto parecia uma águia quando em vôo. Cada um deles tinha seis asas e era cheio de olhos, tanto ao redor como por baixo das asas. Dia e noite repetem sem cessar: “Santo, santo, santo é o Senhor, o Deus todo-poderoso, que era, que é e que há de vir”.  Toda vez que os seres viventes dão glória, honra e graças àquele que está assentado no trono e que vive para todo o sempre, os vinte e quatro anciãos se prostram diante daquele que está assentado no trono e adoram aquele que vive para todo o sempre. Eles lançam as suas coroas diante do trono, dizem: “Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas”. Apocalipse 4

Logo depois de ler esse texto, fui muito tocado por Deus, comecei a louvar, adorar e então tive a convicção de que o Espírito Santo estava falando algo sobre entrega, sobre dar a ele. Muitos irmãos tem falado isso, mas não me importo em repetir; cultuar, adorar, louvar estão intimamente relacionados a entrega.

Temos de dar algo, mas nós só podemos dar aquilo que temos. Como  Pedro e João quando estavam a porta do templo e um coxo lhe pediu esmola. Pedro disse que não tinha ouro ou prata mas o que tinha deu a ele, que era a cura.

Isso também me leva a pensar sobre uma parte da primeira carta de Paulo, apóstolo a igreja em corinto quando no capitulo 14 verso 26 ele fala como os irmãos deveriam se comportar quando se reunissem.

“Portanto, que diremos, irmãos? Quando vocês se reúnem, cada um de vocês tem um salmo, ou uma palavra de instrução, uma revelação, uma palavra em língua ou uma interpretação. Tudo seja feito para a edificação da igreja. “ 1Co 14,26

Tudo o que ele fala e segue falando nos outros versículos está relacionado a dar com intuito de edificar a igreja ( construir uns aos outros).

Porém como já disse só podemos dar aquilo que temos, nós somos o resultado daquilo com o que nos enchemos. Se vemos um filme muito legal assim que ele acaba a primeira coisa que falaremos é sobre o filme, se vemos muita novela falamos de novela, se nos enchemos de piada vivemos e falamos de piadas, futebol a mesma coisa, não estou falando que essas coisas são erradas mas o fato é que se só nos enchermos dessas coisas é somente isso que nós teremos para dar tanto a Deus como aos nossos irmãos.

Que possamos nos encher do Espírito Santo, nos encher da bíblia, que possamos ter mais momentos a sós com Deus, que possamos entoar louvores a ele e nos encher daquilo que realmente fará diferença em nossas vidas.

Desejo ver em Cabo Frio uma igreja vibrante que ama Jesus, sua palavra, que anda no sobrenatural e vive um estilo de vida de jejum e oração. Um estilo de vida como o de Jesus.

Esse texto te edificou? Comente.

Quais atitudes podemos tomar para experimentar mais de Deus?

Do que você tem se enchido?

Compartilhe, vamos conversar.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>


12 Líderes ou 5 Ministérios? Por Luiz Hermínio

É indiscutível que os 12 homens escolhidos por Jesus viveram o propósito ministerial para o qual foram designados. Seguramente, os mesmos receberam a incumbência de difundir o evangelho do Reino nos primeiros passos da igreja aqui na terra. Os evangelhos estão recheados da visão de Cristo para seus 12 primeiros discípulos: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Em outras palavras Jesus nos instrui a gerarmos pessoas que reproduzam na vida o caráter de Jesus e que tenham paixão pelo próximo, desejando que cada um seja salvo pelo poder do Nome de Jesus. Esta ordem continua ressoando em nossos ouvidos e inflamando nossos corações até os dias de hoje.

Algumas denominações instituem 12 líderes como cargos ministeriais de cobertura da igreja que é um modelo eclesiástico a ser seguido. Porém, a bíblia não instrui que separaremos 12 homens, antes, o próprio Deus concedeu a sua igreja 5 Ministérios distintos os quais são a base vocacional para a vida da igreja. O que faz a diferença, portanto, não são 12 líderes, mas sim se estes 12 estiverem encaixados dentro a vocação para a qual foram chamados. A instrução bíblica para os 5 ministérios encontra-se em efésios 4. Abra sua bíblia e leia atentamente o texto, e por favor, caminhe comigo sobre estas águas acompanhando este raciocínio revelado. Aqui fica evidente que não estamos falando de cargos ou títulos e sim de um chamado específico.

Este princípio bíblico nos leva ao cumprimento de três conseqüências espirituais para a igreja: o Aperfeiçoamento dos Santos que está ligado ao aprimoramento espiritual dos membros, o Desempenho do Ministério que está ligado a performance de cada chamado. Creio que ainda estamos muito ligados a posições hierárquicas e não a chamados vocacionais. Faço menção aos diáconos, presbíteros, obreiros como um todo: tesoureiros, porteiros, zeladores, intercessores, levitas na música, na dança, e nas artes, todos são sacerdotes sim. Portanto, nem todos são apóstolos, profetas, mestres, evangelistas ou pastores. Conheço unção apostólica sobre pastores e até mesmo de evangelistas, mas jamais vi alguém ser ungido a profeta ou mestre. Todos são ungidos a Pastor, e aqui eu faço honra a este importante ministério, mas é que este rótulo pode esconder e abafar a vocação se estiver sobre alguém que não foi chamado para o pastorado. E o terceiro tópico trata da Edificação do Corpo de Cristo, isso fala da estrutura básica de uma igreja como sendo o meio de locomoção de Jesus na terra.

Estes fatores nos levarão a plenitude de uma igreja segundo o coração de Deus pois fluiremos em Unidade da fé, sem competições, visões bloqueadas, estagnação, isolamento e individualismo. Pois sabe porque isso acontece em algumas igrejas? É simples: Ministérios desencaixados! São mestres tentando ser apóstolos travando o ensino e não conseguindo cobrir outros líderes, pastores sendo profetas e isso é perigoso, um profeta tem uma palavra de confronto e talvez não saiba colocar a ovelha no colo e curar suas feridas, e tem até evangelista preso entre 4 paredes de uma igreja, o povo até vibra com ministrações eloqüentes mas não é apascentado. Chegaremos ao Pleno conhecimento do filho de Deus pois haverá uma revelação clara de quem Jesus é e daquilo que Ele espera de seus seguidores. E por fim chegaremos ao que mais almejamos: A maturidade espiritual alcançando a Estatura de varão perfeito. Engraçado que nenhuma das conseqüências vindas do cumprimento desta lei prometem crescimento quantitativo. Se você observar, cada eixo prometido libera uma palavra de crescimento qualitativo, o número de pessoas, será apenas uma conseqüência de uma igreja que vive o que prega e que de cara denuncia que tem caráter o caráter de Jesus.

É fácil entendermos os 5 Ministérios, eles literalmente cabem na sua mão: O pastor é aquele que cuida da ovelha e a conduz. O Mestre a ensina com treino e disciplina, o Evangelista busca ovelhas perdidas e novos rebanhos atraindo-as para perto de si, enquanto o Profeta lhes aponta a direção dos melhores pastos verdejantes, lhes avisa das mudanças climáticas de acordo com cada tempo e estação. E o Apóstolo, bem, certifica-se de que cada um tem cumprido bem seu papel, pois, flui através de todos com milagres, missões e palavra. O Apóstolo é quem recebe a visão e a constrói em pessoas cumprindo a vontade do Pai que diz: Portanto ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

O fato é que ministério não é cargo e sim função no corpo! Sejam quantos forem os líderes de sua igreja, o qual seja o modelo por ela adotado, jamais podermos sobrepor os princípios por causa dos métodos. Que independente do número, eles possam ter bem definidos seus ministérios no corpo. Os 5 Ministérios existem para nos levar a plenitude em Deus e para nos guardar de falsos ensinamentos e doutrinas como trata o v.14 do capítulo em questão. Mas aqui fica um questionamento: Onde você se encontra nos cinco ministérios dentro da igreja do Senhor? E em qual deles você se encaixa?

Fonte: http://www.mevam.org.br/ministerio/?pg=lideranca

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>