Esferas de Influência em Nossa Sociedade

Nota

7areas da sociedade

Há 7 instituições consideradas pilares da sociedade: a família, a igreja, o governo, as empresas (a economia, os negócios), as artes, os meios de comunicação e a academia (educação).

Cada pilar ou instituição contribui para o caráter e a estabilidade (ou instabilidade) de uma sociedade.

A saúde da família e do casamento, e a reverência para com eles, são críticos para o caráter de uma sociedade, como comprovamos diariamente em nossa cultura decadente.

A igreja como Sal e Luz (mt5:13-16), deve apoiar, influenciar e impactar a sociedade proclamando a verdade de Deus e exibindo o caráter divino, tanto para crente como para não crentes.

O governo é instituído para influenciar e controlar a dispensasão de justiça nas interações humanas.

As empresas são os instrumentos para criação de riquezas e, portanto, provêem o motor econômico para os outros pilares.

As artes expressam a natureza criativa e celebrativa da humanidade, assim como a recebemos do nosso Deus Criador, tanto influenciando como refletindo a sociedade em geral.

A mídia englobam os meios de comunicação, eletrônicos e impressos, os quais exercem uma clara influência em qualquer sociedade.

A academia, educação da próxima geração, é pilar último e exerce uma profunda influência nos valores e comportamentos de uma sociedade.

Cada um desses pilares estão relacionados uns com os outros e juntos são a expressão completa da cultura que deve refletir a realidade do Reino de Deus.

Ser influencia e poder de alguma forma tocar essas áreas trazendo a realidade do céu para terra é o meu desafio.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Adaptado do livro Negócios como missão.

#tempodefrutificar.

Completando o Mandato Cultural – Por Stephen McDowell

Como os Cristãos têm Ajudado a Estabelecer o Reino de Deus entre as Nações

Completando a Comissão

O Plano de Deus para a Humanidade

Qual é o propósito ou a missão do homem na terra? Os Cristãos com freqüência respondem a isto se referindo a Grande Comissão (Mateus 28:18-20), e com toda a razão, porem nos últimos anos um grande segmento da Igreja tem limitado o significado disto a conversão somente pessoal. Certamente a Grande Comissão inclui o Mandato

Evangelístico, de redimir o homem, mas também inclui o Mandato Cultural, o de redimir a terra.

Deus se tem revelado a Si próprio como o Rei da Criação quanto o Redentor da Humanidade. O Seu reinado sobre a criação se descreve nos capítulos iniciais da Bíblia. O propósito de Deus para o homem também é revelado no livro de Gênesis.

Para entendermos apropriadamente o plano de Deus para o homem devemos entender uma verdade fundamental declarada em Genesis 1:1 – a soberania de Deus. Deus declara a sua existência desde o principio. Ele declara que é o Criador, por isto Seu senhorio sobre a criação. Ele governa sobre toda a criação. “Os céus são os céus do Senhor… Todo o que quis tem feito” (Sal. 115:16, 3). Devido a que Ele é soberano, todos os homens são responsáveis perante Deus.

O primeiro livro, Gênesis, também ensina o aspecto distintivo do homem. O homem é feito a imagem de Deus (1:26-27); por tanto é único e distinto. O homem manifesta o principio da individualidade – no seu chamado e nas suas características. Todos nos temos um propósito geral comum, mas cada um tem um propósito específico distinto.

Deus lhe deu uma missão a Sua criação especial desde o principio – o Mandato Cultural ou de Domínio (vs. 28). Deus lhe deu ao homem a missão de senhorear sobre a terra, de tomar domínio. O Salmo 8:6 diz que somos feitos para governar sobre as obras das Suas mãos.

Deus criou o homem a Sua própria imagem e semelhança como o Seu vice-regente ou administrador para governar sobre a terra. Tristemente o homem caiu do propósito para o qual Deus o criou. Desta maneira, o homem perdeu tanto o seu íntimo relacionamento com Deus quanto a sua habilidade para governar apropriadamente a terra. O pecado não somente separou o homem de Deus, mas também produziu uma maldição e uma grande perda. O homem era incapaz de cumprir apropriadamente o mandato cultural.

A natureza redentora de Deus se faz evidente de ali em diante. O homem tinha caído de aquilo para o qual Deus o tinha criado h– tanto no seu ser quanto no seu agir.

Então Deus planejou redimir o homem e restaurar nele a autoridade e administração (mordomia) delegadas sobre a terra. Deus prometeu que a semente da mulher destruiria a serpente, Satanás (Genesis 3:15). Cristo foi aquela semente que veio para redimir o homem e reverter os efeitos da queda e a maldição. Ele devolveu ao homem a habilidade de cumprir a missão originalmente entregue a Adão, como também restaurou o relacionamento do homem com Deus.

A historia da redenção se desenvolve nas varias alianças que Deus estabeleceu com os homens. A entrega da lei no Pacto Mosaico também foi usada por Deus para impulsionar o Seu programa redentor. Naturalmente, o propósito redentor de Deus tem encontrado seu cumprimento final na Nova Aliança a través de Cristo, quem foi imolado e que pelo seu sangue Deus tem redimido os homens para si mesmo “de toda linhagem, língua, povo e nação” (Apocalipse. 5:9).

salvaçao em cristo

O Propósito da Salvação em Cristo

O propósito completo da salvação em Cristo não pode ser entendido a menos que entendamos o propósito original do homem. A salvação vai alem de fazer que o homem entre no céu. Inclui restaurar o homem a sua posição original. Cristo lhe trouxe ao homem a restauração do pacto que Ele tinha com Deus, da gloria que tinha de Deus, e do mandato de domínio. Jesus também trouxe o reinado e o governo do Seu Reino a toda a criação. Ele proclamou e demonstrou o evangelho do Reino (ou seja, o governo, justiça, verdade e paz de Deus em todas as áreas da vida).

A sua obra expiatória também reverteu a maldição devido à queda do homem. A maldição afeta aos indivíduos através da morte, as enfermidades, o cativeiro, etc., e por sua vez também afeta todas as esferas da vida. Cristo trouxe redenção aos indivíduos, mas também às instituições e a todas as esferas da vida (incluindo a lei, o governo, a educação, as artes, os negócios). A redenção é tão ampla como a abrangência do pecado.

O desejo de Deus, como Jesus nos ensinou a orar, é que o Seu reino venha e que a Sua vontade seja feita na terra como é feita nos céus. Temos sido redimidos com um propósito. Em Cristo temos sido restaurados a condição de filhos e estamos agora na posição de obedecer tanto o Mandato Cultural quanto o Mandato Evangelístico. Com respeito ao Mandato Cultural, Deus nos tem restaurado a mordomia. Através de Cristo somos chamados de volta ao propósito original de Deus – para viver a Sua imagem e para sermos “frutíferos e a aumentar em número, a encher a terra e dominá-la. Para senhorear sobre… todas as criaturas que se movem sobre a terra” (Genesis 1:28). Temos sido restaurados para servir a Deus como os seus vice-regentes sobre a terra.

As nações também são afetadas pela obra redentora de Cristo. Em Mateus 28:19 Jesus nos disse que fossemos e que fizéssemos discípulos de todas as nações. Matthew Henry disse que a intenção de isto é reconhecer as nações como nações Cristas. Atos 17:26 nos diz que Deus fez as nações e lhes prefixou os tempos e os limites de sua habitação, para que busquem a Deus.

As nações têm obrigações com Deus. George Washington resumiu muito bem as obrigações que as nações têm com Deus no documento Proclamação para um Dia de Ação de Graças, guardado a quinta-feira 26 de Novembro de 1789: “É a Obrigação de todas as Nações reconhecerem a Providencia do Deus Todo poderoso, obedecer a sua vontade, e ser agradecidas pelos seus Benefícios, e implorar humildemente a sua Proteção e Favor. ”

Necessitamos ver que a nossa comissão é grande e que vai muito alem da conversão de indivíduos, embora isto seja de primeira importância.

remir a terra, nosso mandato cultural

Redimindo a Terra

O Mandato Cultural nos chama para usar todos os nossos recursos para expressar a Sua imagem e semelhança na terra. Para cumprir este mandato requer de nos que descubramos a verdade através das ciências, apliquemos a verdade por meio da tecnologia, interpretemos a verdade através das artes e as letras (a área de humanidades: a literatura, a filosofia, etc.), estabeleçamos a verdade através do comercio e a ação social, transmitamos a verdade por meio da educação e as artes, e preservemos a verdade através do governo e a lei.

Historicamente os Cristãos têm estado na frente em cada uma dessas áreas. À medida que estes homens e mulheres têm sido fieis para cumprir o chamado em suas vidas e utilizar os talentos que Deus lhes deu, nessa medida tem contribuído enormemente para tomar domínio sobre a terra e estender os propósitos e o governo de Deus neste mundo.

Na parábola de Lucas 19:11-27 Jesus nos instrui em quanto a como deveríamos viver na terra enquanto esperamos, e ao mesmo tempo ajudamos a produzir, o Seu reino. Ele nos disse que “fizéssemos negócios com isto ate que eu voltar” (vs. 13). O isto são minas, o que certamente fala de um uso sábio do dinheiro, mas num sentido mais amplo representa os talentos, destrezas e habilidades que Deus tem dado a cada um de nos. Deus nos criou com um propósito. Deseja que trabalhemos como sócios com Ele para tomar domínio sobre a terra ao usarmos os talentos que nos tem dado. Estes talentos se expressam no negocio ou a obra a qual nos chamou. Nosso trabalho é uma parte vital do plano de Deus para nos e para as nações. À medida que formos fieis em trabalhar duro e em multiplicar o que nos tem dado, nessa medida estaremos participando em produzir o Seu reino sobre a terra e sendo uma benção para as nações.

Podemos aprender muito em como discipular hoje as nações a partir dos exemplos dos Cristãos que Deus tem usado ao longo da historia. Seguidamente mencionaremos alguns Cristãos que tem contribuído em cumprir o mandato cultural ao fazer negócios com os talentos que Deus lhes deu em vários campos. Uns poucos destes pioneiros são examinados brevemente para que possamos aprender e sermos inspirados por seus exemplos.

Se quiser continuar estudando sobre o assunto recomendo ler Tocar o Céu e Transformar a TerraResgatando a Cosmovisão Bíblica e dá uma olhada nas dicas de leitura que tem alguns livros ali muito bons que tratam desse assunto.

No amor de Jesus.

Pedro Quintanilha ><>

PROVIDE – 4 Surf Festival – Surfando Contra as Drogas

Provide Surf Festival Banner

O PROVIDE – Programa pela Vida sem Drogas estará realizando nos dias: 17 e 18 de Novembro (Sábado e Domingo), de 07 às 18h, o 4° Campeonato de Surf – O PROVIDE SURF FESTIVAL – na Praia do Forte, em frente à Praça das Águas.

O objetivo desse campeonato é apresentar o trabalho do PROVIDE de prevenção e tratamento às drogas em nossa cidade, e estimular nossos jovens à prática esportiva e cultural, como alternativa para vida saudável.

Este evento, que já é sucesso na nossa Região, será aberto oficialmente na 6ª. feira (16 de novembro), com o Coquetel de Abertura no Museu do Surf, na Praça do Teatro de Cabo Frio, às 20hs com Show de Reggae, onde será feito o credenciamento dos participantes via apresentação do comprovante de pagamento.

Inscrições Abertas para 7 categorias e 10 Mil Reais em Prêmios!!

MAIORES INFORMAÇÕES PELO TEL: (22) 2644-6104

Quer competir?

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI – R$ 40,00

Veja o Vídeo:

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

O Papel da Igreja no Cenário Político

urna-eletronica

” e não sejais cúmplices das obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as ” Ef 5.11

Mentiras, corrupções, injustiças, hipocrisias,  maldades… São alguns dos ingredientes que fazem parte do cardápio político brasileiro. Todas essas coisas parecem não ter fim, enquanto assistimos a tudo inertes sem fazer absolutamente nada para evitar ou acabar com toda esta tragédia.

Todavia, a palavra de Deus revela-nos um lado que muitas vezes não queremos ver ou admitir: O Senhor considera todos os envolvidos responsáveis (Isaías 9.16,17). Isto quer dizer que perante Deus tanto os que lideram quanto os liderados tem suas responsabilidades, principalmente aqueles que fazem parte do povo de Deus.

Nunca se fez tão importante o papel político da igreja como nesses dias. Não podemos nos calar diante de tanta injustiça de um lado e omissão do outro. A igreja precisa assumir uma postura profética, semelhante a de Jeremias, que falou tanto internamente (Israel), quanto externamente (nações incrédulas). Precisamos levantar-nos nesta geração e dizer aquilo que o Espírito Santo tem falado através das Escrituras. Creio que Deus em breve julgará toda essa sujeira que cobre nosso País.

Diante do estado caótico que nosso país vivencia, não podemos ser omissos.

Não se conforme com o “Voto Nulo”, mas faça uso do mandamento apostólico: “E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém reprovai-as”. Ef 5:11

Não venda seu voto. Não eleja quem não vai lhe representar dignamente. Não se conforme com a presente situação deste país.

Talvez você diga que “não sabe em quem votar” porém, uma coisa você precisa saber: Em que você NÃO DEVE votar. Faça pelo menos uma lista de quem você sabe que não deve receber seu voto, principalmente aqueles que do seu conhecimento estejam comprometidos com a corrupção.

Eu e você, discípulos do Senhor, sabemos que a solução para o nosso Brasil encontra-se no Senhor Jesus Cristo. “Feliz a nação cujo Deus é o Senhor…” (Salmo 33:12a). Porém, precisamos saber que Deus reprova os guias que desorientam o povo, mas também não se agrada do povo que se permite ser induzido ao erro. Líderes corruptos e liderados omissos, tanto um quanto estão “na mira” do Senhor dos Exércitos.

Extraído do Boletim Informativo do Projeto Ide.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Stephen McDowell – Construindo Nações Com Base na Palavra de Deus

Assistam esses vídeos impressionantes do grande mestre Stephen McDowell, este camarada tem treinado milhares de pessoas ao redor do mundo sempre trazendo uma perspectiva completa sobre a vida fundamentada em uma cosmovisão bíblica. Nesses vídeos ele demonstra como podemos aplicar princípios da palavra de Deus para desenvolvermos um governo em uma nação. Agora eu quero ver alguém dizer que política é do diabo.

Nação livre, Libertando as nações, nação cristã

Stephen McDowell é o co-fundador da Fundação Providence e da Universidade Visão Biblica Mundial. Em 25 anos de trabalho integral com a fundação, Stephen tem viajado pelos Estados Unidos, assim como na Ásia, América do Sul, Austrália e África. Ele treinou milhares de pessoas em mais de 100 paises, prestou consultoria a numerosos lideres de governo, ajudou na confecção de documentos politicos e na fundação de partidos politicos, e ajudou a criar classes de estudo em varias igrejas. Escreveu e co-escreveu mais de 20 livros, incluindo Libertando as Nações e a Historia Providencial Americana.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Landa Cope Ministrando na Logoinha

Essa é uma ministração impressionante de uma mulher de Deus que sou fã.

Suas ministrações foram as que me colocaram em umas das primeiras crises a cerca do cristianismo e a fé cristã. Foram também algumas que me ajudaram a estruturar o pensamento sobre a visão do todo. Sobre a cosmovisão bíblica.

Assista o vídeo e tire suas próprias conclusões.

Baixe o livro modelo Social do Antigo Testamento escrito pela Landa. 

Obs: Não me responsabilizo pela que crise e pelas perguntas que você terá após assistir esse vídeo.landa_cope

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Chuva de Arte em Cabo Frio

Começou dia 23 e continua até o dia 25 de Agosto a chuva de arte. Exposição fotográfica do nosso amigo e colaborador João Egidio, promovido pela Livraria Ler Mais.

Chuva de Arte

A exposição continua hoje e amanhã…

Confira algumas fotos do primeiro dia:

 

No amor de Jesus

Pedro Quintanilha  ><>

Características da Movimentação Apostólica

movimento apostólico

Movimento Apostólico, conheça as características dessa movimentação.

Vamos prosseguir com o assunto tratado no artigo  que fala sobre a necessidade de uma movimentação apostólica neste tempo, veremos algumas características dessa movimentação.

Primeiro vamos definir o termo apóstolo, muitas vezes esse termo é definodo como enviado, porém ele é mais profundo do que simplesmente alguém enviado para uma missão. O termo APOSTOLO = ENVIADO COM UMA FUNÇÃO que pode ser comparado com mensageiro, delegado, enviados para expansão geopolítica nos tempos do império romano, reconhecimento de uma autoridade, procurador, aquele que substitue quem o envio. Os melhores termos para definir apostolo são procurador ou administrador.

Vamos agora as características:

– Reposicionar o povo de Deus essa foi a primeira missão apostólica (Mt 10:6  “Antes, dirijam-se às ovelhas perdidas de Israel.”) isso fala sobre restaurar a identidade da igreja.

– Proclamação do Evangelho do Reino.

Fazer Discípulos

– Fortalecer e encorajar os discípulos.

– Estabelecer governo nas comunidades formadas. (At 14.21-23)

– A essência do ministério apostólico é de ser um despenseiro = administrador dos mistérios de Deus (1Co4.1) e Ministro = Remador de baixa categoria ou oficial de justiça.

– Criar acesso , chamados para incluir, assim como Paulo fez. (Ef 2.19-22, Rm 5.2, Ef3,2) Gerar acesso para a missão que temos diante de nós.

– Característica de gerar = trazer outros ao modo de vida de Cristo.

– Homens que tem credenciais, sinais, prodígios e milagres os acompanham. (2Co12.2)

– Serviço de preparar pessoas e apresenta-las a Deus (Rm15.16)

– Destruir fortalezas, destruir raciocínios e levar cativos pensamentos a Deus (2Co10.4)

– Solucionar problemas que surgem na igreja (1Co1.10)

Atrair e distribuir recursos financeiros.

– Implementar esses recursos.

Importante ressaltar que o apostólico está diretamente relacionado a igreja (Mt16.19, Mt18.15-20) tem como missão gerar missão e trazer desenvolvimento, gerar expansão da igreja e na igreja que são duas coisas diferentes.

Apóstolos são pessoas com uma visão ampla, possuem um olho na igreja e outro onde a igreja não está, quando outros serviços se alinham com eles se tornam apostólicos. Sua função é assegurar que toda a igreja na cidade se torne apostólica.

Muitos apóstolos são pessoas empreendedoras que se envolvem em negócios, possuem envolvimento missional, são pessoas rompedoras de limites. Apóstolos abrem novos espaços, são formadores de rede e estão comprometidos com o aperfeiçoamento que fala de capacitação, fortalecimento, restituição, reparo, arranjo, ajuste, colocar em ordem. O Aperfeiçoamento tem haver com uma atividade e não simplesmente com o ensino.

Que possamos descobrir e reconhecer pessoas apostólicas e apóstolos e nos conectar com eles para que todo o corpo possam se movimentar da melhor forma possível.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Ai, Ai, Ai não seja como o povo de Ai

Essa é uma reflexão com base nos capítulos 7 e 8 do livro de Josué. Se você não leu recomendo a leitura deles, só clicar em Capítulo 7 e Capítulo 8.

Vamos lá, Após Josué e o povo de Deus invadir Jericó e ter uma vitória espetacular. O povo de Israel sobe contra a cidade de Ai que era um povo bem menor que eles. Israel perde, mas perde feio.  São enxotados da cidade, postos em fuga. Por causa do pecado de Acã o povo perdeu essa batalha. Depois que se arrependeram montaram uma nova estratégia, voltaram e venceram o povo de Ai.

Sempre li esse texto com base no pensamento do povo de Israel sendo vitorioso sobre o povo de Ai. Porém hoje pela manhã comecei a refletir sobre a posição do povo de Ai em relação a esta guerra. Fato é que o povo de Israel era muito maior do que o povo de Ai, inclusive as escrituras deixam isso claro no relato da primeira batalha. Apesar de maior número e maior força do povo de Israel, o exército de Ai consegue vencer a primeira batalha.

Na minha opinião isso trouxe uma confiança exagerada para este povo, pois afinal de contas eles derrotaram e botaram para correr o exército de Israel.

Na segunda batalha o povo de Ai entra na luta com aquele sentimento de já ganhei. Acredito que isso fez com que eles não analisassem todos os pontos da situação que eles se encontravam, o povo de Israel arma uma emboscada para eles, remontam exatamente o mesmo cenário da primeira batalha. Como o povo de Ai já tinha passado por aquela situação e vencido, eles seguem os guerreiros de Israel e deixam sua cidade desprotegida. Então outra parte do exército de Israel que estava escondida invade e incendeia a cidade, dominando o território.

Muitas vezes somos como o povo de Ai, após vencermos alguma batalha nos enchemos de confiança e arrogância, quando vemos algo parecido a nossa frente nos lembramos daquela situação de vitória anterior. Aquele sentimento de já ganhei invade nosso ser e acabamos perdendo esta nova batalha por conta do sentimento da última vitória.

A derrota do povo de Ai nos ensina a enxergar cada batalha como única e que cada desafio deve ser tratado de forma séria, sem orgulho ou arrogância pelas vitórias passadas.

Espero que  durante os desafios e lutas que você encontrar pela frente, você se lembre do povo de Ai que se vangloriou e acabou gritando ai, ai, ai…

Sua atitude de arrogância e soberba pode custar um território que você lutou muito para conquistar.

Pense nisso.  Gostou? Comenta aí. Quero saber sua opinião.

No amor de Jesus,

Pedro Quintanilha ><>

Projeto 02/11 Leva Evangelho no Dia de Finados em Todo o Brasil.

Dia da Vida Evangelho de Jesus Cristo, Evangelismo. Reino e Sacerdote. Missões, Trasformação CulturalNo dia de Finados, celebrado em 2 de novembro, muitas pessoas vão visitar e relembrar os entes queridos, lotando os cemitérios em todo o País. Um projeto, de nome 02/11, pretende aproveitar a data para realizar ações evangelísticas entre os que prestam homenagens aos mortos.

O projeto, que também está sendo denominado “Dia da Vida”, orienta a formações de equipes de pessoas que juntas saiam no dia 2 para promoverem um “impacto evangelístico”, de forma a literalmente saírem às ruas para proclamarem as Boas Novas do Evangelho.

O projeto tem o alvo de alcançar 800 mil vidas. “Não estamos interessados em números, apenas estamos trabalhando com alvo para uma motivação normal, o que importa é que o Evangelho seja pregado”, diz a apresentação no sitehttp://www.diadavida.org/

Segundo o pastor Maycon Barroco, idealizador do projeto, que falou com exclusividade ao CP, a idéia para sua criação surgiu depois de um momento de oração em seu quarto.

“O Senhor me direcionou a criar o projeto e me mostrou a data específica e seu significado. Enquanto muitos estarão lamentando pela perda e pela morte, nós apresentaremos Jesus Cristo, o Autor da Vida”, disse o líder religioso.

Segundo Barroco, a idéia da formação de grupos evangelísticos em todo o País representa um avanço da obra evangelística. “Imaginei como seria se todas as igrejas evangélicas do Brasil fossem para as ruas proclamar o Reino de Deus num único dia, para que isso se concretize oro e creio na unidade da Igreja de Cristo”, afirmou.

Segundo números do projeto, 70% dos estados brasileiros já participam do movimento, que engloba centenas de igrejas e equipes evangelísticas. “Creio que a igreja está entendendo que o evangelismo não é uma sugestão, mas sim, um mandamento de Jesus Cristo expressado na Grande Comissão”, pontuou Barroco.

O projeto, que teve sua primeira edição este ano, pretende alcançar outros países em 2012, como EUA, Argentina, Bolívia e Portugal.

Nesse momento, Barroco tem consciência que não alcançará todas as igrejas do Brasil, mas crê que muitas terão um despertamento para a área evangelística.

“Esse projeto é um desafio de evangelização e unidade para a Igreja de Cristo. Estamos vivendo dias maus, mas precisamos enxergar como Jesus enxergou quando disse: ´Vejam os campos, eles estão brancos, prontos para a ceifa´”, afirmou o líder do projeto.

Para Barroco, Deus não quer mais usar mulas e pedras, referindo-se a passagens bíblicas. “Ele quer usar a minha e a sua vida para uma transformação relevante nesses dias. Deixo esse desafio a vocês, no dia 02 de novembro de 2011 vamos para as ruas proclamar a Palavra de Deus e levar vida aos que estão mortos”.

Fonte: The Christian Post